Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do efeito do hormônio tiroideano na morfologia da lâmina epifisial de camundongos com dupla deleção gênica dos receptores alfa 2ª e 2C adrenérgicos

Processo: 15/07623-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Cecilia Helena de Azevedo Gouveia
Beneficiário:Iasmin Ferreira de Araujo
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sistema nervoso simpático   Hormônios tireóideos   Osso e ossos

Resumo

Um achado importante dos últimos anos foi o de que o remodelamento ósseo está sujeito ao controle do sistema nervoso central (SNC), com o sistema nervoso simpático (SNS) agindo como efetor periférico. Uma série de estudos sugere que SNS regula negativamente a massa óssea, agindo exclusivamente via receptor b2-adrenérgico (b2-AR), expresso em osteoblastos. Entretanto, estudos recentes do nosso grupo demonstraram que camundongos com dupla inativação dos genes dos receptores adrenérgicos ±2A e o ±2C (±2A/±2C-AR-/-) apresentam fenótipo de alta massa óssea (AMO), apesar de apresentarem hiperatividade simpática crônica e b2-AR intacto. Além disso, demonstramos que esses camundongos knockouts (KO = com inativação gênica) são resistentes à osteopenia induzida pelo excesso de hormônio tiroideano (HT). Observamos, ainda, que camundongos com inativação isolada do ±2A-AR ou do ±2C-AR são resistentes à redução do crescimento longitudinal ósseo induzida pela tirotoxicose. Vimos, ainda, por imunohistoquímica, que ambos os receptores (±2A-AR e ±2C-AR) são expressos no tecido ósseo, em condrócitos da zona de reserva e da zona pré-hipertrófica das lâminas epifisiais e em condrócitos hipertróficos de centros de ossificação secundários de camundongos. Esses achados sugerem fortemente que o (i) ²2-AR não é o único adrenoceptor envolvido no controle do metabolismo ósseo e que (ii) o SNS interage com o HT para regular não só a massa óssea, mas também o crescimento longitudinal ósseo. Além disso, os nossos achados levantam as hipóteses de que (i) o ±2A-AR e/ou ±2C-AR também apresentam um papel importante na mediação das ações do SNS no esqueleto e que (ii) esses receptores estão envolvidos na interação do HT com o SNS para regular o metabolismo, crescimento e desenvolvimento ósseos. Neste projeto, temos como objetivos: (i) avaliar se a dupla inativação desses receptores (±2A/C-AR-/-) interferem no crescimento longitudinal ósseo; (ii) caracterizar o fenótipo da lâmina epifisial de camundongos ±2A/C-AR-/- e (iii) investigar se a ação do HT no crescimento ósseo depende do ±2A-AR e/ou do ±2C-AR, avaliando o efeito do HT na estrutura da lâmina epifisial e no crescimento longitudinal ósseo dos camundongos KOs. Os estudos propostos poderão trazer novas informações a respeito dos mecanismos através dos quais o HT regula o crescimento e desenvolvimento do esqueleto.