Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da sub-população de células de melanoma CD20+ e o comportamento destas células mediante tratamento com quimioterápicos, utilizando detecção por imagem radionuclídica

Processo: 14/27188-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Roger Chammas
Beneficiário:Janio da Silva Mororó
Instituição-sede: Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira (ICESP). Coordenadoria de Serviços de Saúde (CSS). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Melanoma   Imagem molecular   Quimiorresistência   Radiofarmacologia

Resumo

O melanoma maligno é considerado o câncer mais agressivo dentre os tumores de pele, tanto pelo rápido crescimento do tumor como pela elevada toxicidade no tratamento com quimioterapia, e por isso os pacientes apresentam baixa sobrevida em relação aos outros pacientes com câncer de pele. Embora vários fármacos e moléculas tenham sido desenvolvidos ao longo dos últimos anos, no entanto pouca eficácia foi obtida na terapia. Nesse contexto, as células tronco cancerígenas parecem desempenhar um importante papel na resistência destes tumores à quimioterapia. Estas células vêm sendo identificadas através de várias características fenotípicas, incluindo com a provável marcação de proteínas CD20 na membrana celular. Com isso, a análise das células CD20+ em melanoma poderia ser um importante passo para a caracterização e entendimento do processo de quimiorresistência destes tumores, além de poder se tornar um importante alvo terapêutico para ser utilizado na terapia dos melanomas malignos. Em relação ao diagnóstico, têm sido feitos muitos estudos analisando o radiofármaco 18Flúor-FDG, o qual tem se demonstrado eficiente na detecção destes tumores, no entanto para detecção de tumores iniciais de melanoma tem sido visto resultados contraditórios sobre a eficácia desta molécula. Portanto este trabalho tem como objetivo analisar a sub-população de células tronco cancerígenas CD20+ de melanoma e o comportamento destas células mediante as diferentes condições de estresse celular. Além disso, utilizando um anticorpo anti-CD20 e importantes técnicas de imagem molecular (óptica e radionuclídica) analisar promissoras estratégias terapêuticas e de diagnóstico in vitro e in vivo, que possam futuramente ser utilizadas na clínica. (AU)