Busca avançada
Ano de início
Entree

Pequenos roedores holocênicos do Nordeste do Rio Grande do Sul: descrevendo comunidades e suas respostas ante a mudanças ambientais

Processo: 14/19126-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Alexandre Reis Percequillo
Beneficiário:Paulo Ricardo de Oliveira Roth
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/16009-1 - Sistemática, evolução e diversificação da subfamília Sigmodontinae na América do Sul: a tribo Oryzomyini, AP.JP
Bolsa(s) vinculada(s):16/20693-9 - Pequenos roedores do Holoceno do Nordeste do Rio Grande do Sul, Brasil: mudanças na diversidade através do tempo e reconstrução paleo-ambiental, BE.EP.DD
Assunto(s):Zooarqueologia   Roedores   Paleoambientes   Biogeografia   Morfometria   Filogenia   Análise de sequência de DNA   Mudança climática   Holoceno   Nordeste   Rio Grande do Sul

Resumo

A preservação de remanescentes de pequenos vertebrados é um evento bastante raro porque é necessário que vários fatores químicos, físicos, geológicos e biológicos atuem para que frágeis ossos e dentes não sejam destruídos pelo processo de decomposição e por intempéries. Apesar de raros, os testemunhos deste tipo de fauna são encontrados com alguma frequência em escavações em abrigos sob rocha do Rio Grande do Sul (RS). Muitas espécies de micromamíferos são consideradas excelentes indicadores porque possuem diferentes exigências ambientais e diversas espécies ocupam nichos bastante específicos. A identificação das espécies em uma comunidade pretérita possibilita a reunião de uma série de informações que auxiliam no entendimento da história ambiental e climática de uma região. A disponibilidade de comunidades remanescentes de antigos também é uma oportunidade única para, por meio de análise morfológica, investigar as respostas das populações às mudanças ambientais e climáticas do passado para entender o presente padrão de distribuição das espécies. Além disso, quando os restos não são completamente mineralizado, há uma oportunidade extraordinária para acessar a informação genética e investigar as relações filogenéticas com populações e/ou espécie recentes. Dispomos de 13.617 ossos (inteiros e fragmentados) de pós-crânio e de 1.484 partes cranianas e dentes de pequenos roedores obtidos em dois sítios arqueológicos do nordeste do RS e cujas idades inferidas vão desde 12.430 anos antes do presente até poucas décadas. Dentre esta amostra pretérita existem previamente identificados 24 táxons dentre os quais destacamos dois extintos localmente (Kunsia sp. e Pseudoryzomys simplex) e um extinto totalmente (Dicolpomys fossor). A partir deste material buscaremos, num primeiro momento, reconhecer a diversidade de pequenos roedores em diferentes períodos do Holoceno através da identificação dos táxons amparada por análises descritivas e estimativa de abundância. Posteriormente, investigaremos se as mudanças climáticas afetaram a diversidade de espécies de pequenos roedores e, a morfologia de crânio-dentária e distribuição geográfica de Cavia sp., Holochilus brasiliensis e Pseudoryzomys simplex porque seus espécimes são relativamentes comuns na amostra. Para isso, utilizaremos técnicas de morfometria geométrica e filogenia comparando sequencias de DNA antigo com sequencias homólogas de representantes de populações atuais. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MANCINI, MATHEUS C. S.; ROTH, PAULO RICARDO O.; BRENNAND, PAMELA G. G.; RUIZ-ESPARZA AGUILAR, JUAN M.; ROCHA, PATRICIO A. Tyto furcata (Tytonidae: Strigiformes) pellets: tools to access the richness of small mammals of a poorly known Caatinga area in northeast Brazil. MAMMALIA, v. 83, n. 4, p. 390-398, JUL 2019. Citações Web of Science: 0.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ROTH, Paulo Ricardo de Oliveira. Pequenos roedores holocênicos do nordeste do Rio Grande do Sul: Descrevendo comunidades e suas respostas ante as mudanças ambientais. 2018. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.