Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação da melatonina no microambiente tumoral anaeróbico verificada por marcadores de metabolismo energético em modelo experimental de câncer de mama

Processo: 14/25022-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Debora Aparecida Pires de Campos Zuccari
Beneficiário:André de Lima Mota
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Melatonina   Tomografia por emissão de pósitrons   Biomarcadores tumorais   Neoplasias mamárias

Resumo

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres e apresenta alta taxa de mortalidade. O rápido crescimento tumoral dificulta a perfusão de O2, principalmente na região central do tumor. Estas condições adversas no microambiente tumoral podem exercer pressão seletiva sobre o tumor, selecionando subpopulações com características vantajosas para sobrevivência em ambientes anaeróbicos. Neste contexto se caracteriza a heterogeneidade intratumoral, que consiste em subpopulações de células tumorais com características distintas, que diferem quanto ao grau de agressividade e sensibilidade ao tratamento. A melatonina, um hormônio naturalmente produzido pela glândula pineal, além de seus efeitos fisiológicos tem demonstrado importante ação no câncer. Estudos sugerem que alterações nos níveis de melatonina podem estar relacionados com o desenvolvimento de tumores mamários, e indicam seu uso terapêutico em diferentes tipos de câncer. No entanto, faz-se necessário uma melhor compreensão de seus mecanismos de ação e efeitos oncostáticos. Assim, a presente proposta tem como objetivo avaliar a ação da melatonina no microambiente tumoral anaeróbico verificada por imagens obtidas pela Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET) e por diferentes marcadores de metabolismo energético (pimonidazole, HIF-1±, GLUT1, GLUT3 e anidrases carbônicas IX e XII) em modelo experimental de câncer de mama. (AU)