Busca avançada
Ano de início
Entree

Biodiversidade e estrutura espacial de parasitas de Loricariidae (Teleostei: Siluriformes) procedentes do Brasil

Processo: 15/11543-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 30 de julho de 2015
Vigência (Término): 29 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Pesquisador responsável:Reinaldo José da Silva
Beneficiário:Lidiane Franceschini
Supervisor no Exterior: Juan Antonio Balbuena Diaz-Pines
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universitat de València, Espanha  
Vinculado à bolsa:12/07850-7 - Biodiversidade de helmintos de peixes da família Loricariidae (Teleostei: Siluriformes) procedentes do rio Sapucaí-Mirim, Brasil, BP.DR
Assunto(s):Nematoides   Trematódeos   Helminthes   Cascudo   Interações hospedeiro-parasita

Resumo

Poucos estudos relatam a biodiversidade de parasitas de peixes de populações naturais, de modo a reunir informações sobre sua distribuição geográfica e aspectos da biologia e estrutura da comunidade parasitária. O conhecimento limitado sobre os aspectos biológicos, padrões de distribuição e biogeográficos e elevada variabilidade morfológica de peixes da família Loricariidae, são fatores que dificultam estudos sobre a biodiversidade acerca deste grupo, incluindo estudos sobre a diversidade parasitária destes animais. Durante 2012 e 2013, foram realizadas duas coletas anuais (período seco e chuvoso), em oito pontos amostrais situados entre três Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs): Palmeiras, Anhanguera e Retiro. Amostras de Loricaria prolixa (n = 50), Hypostomus regani (n = 50), Hypostomus ancistroides (n = 50), Hypostomus strigaticeps (n = 50), Hypostomus heraldoi (n = 9), Hypostomus margaritifer (n = 23), Hypostomus cf. margaritifer (n = 18); Hypostomus topavae (n = 10); Hypostomus aff. topavae (n = 46) e Hypostomus n. sp. (n = 23), foram analisadas, totalizando 329 peixes. O objetivo deste estudo é realizar um levantamento da biodiversidade de metazoários parasitos de peixes da família Loricariidae em áreas sob a influência da construção de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) no rio Sapucaí-Mirim, São Paulo, Brasil. Ademais, pretende avaliar a estrutura espacial das comunidades parasitárias destes hospedeiros (em nível de comunidade componente e infracomunidade), avaliando a variação na composição de espécies de parasitas entre os locais amostrados e entre as espécies de peixes (Beta-Diversidade), e determinar as mudanças na abundância das infracomunidades parasitárias com base em variáveis explicativas, tais como tamanho do hospedeiro (peso corporal), espaço (área amostrada), tempo (ano e época de captura). (AU)