Busca avançada
Ano de início
Entree

Espalhamento de bóson vetoriais transversos no contexto da teoria de campos efetiva

Processo: 15/12577-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 08 de agosto de 2015
Vigência (Término): 07 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Ricardo D'Elia Matheus
Beneficiário:Camila Sampaio Machado
Supervisor no Exterior: Roberto Contino
Instituição-sede: Instituto de Física Teórica (IFT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : European Organization for Nuclear Research (CERN), Suíça  
Vinculado à bolsa:12/21627-9 - O setor leptônico de teorias de Gauge no Quiver: teoria e fenomenologia, BP.DR
Assunto(s):Teoria de campos   Espalhamento   Bóson de Higgs   Bosón de Gauge   Bósons W e Z   Grande Colisor de Hádrons

Resumo

Recentemente, houve uma discussão intensa na comunidade teórica e experimental sobre o uso de Lagrangianas efetivas para estudar as medidas do Higgs que serão realizadas no Run2 do LHC. Análises teóricas foram feitas para diversos processos, incluindo a produção associada do Higgs com bósons vetoriais e medidas do acoplamento triplo de gauge (TGC), para extrair limites nos operadores efetivos. Contudo, uma análise completa para o espalhamento de bosons vetoriais ("V V scattering") ainda não foi realizada. Estudos anteriores eram focados em espalhamentos do modo longitudinal dos bosons W e Z. A taxa de espalhamento para o modo transverso dos bosons vetoriais, enquanto parametricamente subdominantes à altas energias, pode ser grande devido a um conhecido fator numérico, podendo dar informações adicionais sobre os operadores efetivos. Então, é importante realizar um estudo detalhado desse processo na linguagem de teorias efetivas (EFT) e comparar os resultados com o obtido em outros processos, em particular as medidas de TGC. Planejamos realizar o estudo dos processos V V indo em V V e V V indo em h h, deixando claro que tipo de informação pode ser extraída experimentalmente desses processos. Isso inclui elaborar estratégias experimentais para aumentar a sensibilidade em processos envolvendo física nova e entender melhor a contribuição de diferentes operadores. (AU)