Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito agudo do treinamento de força de alta e baixa intensidade realizado até fadiga voluntária e falha concêntrica na ativação muscular

Processo: 15/05650-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2015
Vigência (Término): 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Cleiton Augusto Libardi
Beneficiário:Lucas Pintanel Rodrigues
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Treinamento de força   Força muscular   Músculo quadríceps   Eletromiografia   Terapia a laser de baixa intensidade   Estudo comparativo

Resumo

O treinamento de força (TF) é o principal método utilizado para aumentar a força e a massa muscular esquelética, onde intensidades superiores a 60% de uma repetição máxima (1-RM) são frequentemente utilizadas. Entretanto, tal modelo de TF não leva em consideração a falha muscular concêntrica. Estudos avaliando o grau de ativação muscular por meio de eletromiografia (EMG) indicam um platô de ativação muscular onde a ativação torna-se máxima previamente ao ponto de falha concêntrica. Assim, é possível que o exercício realizado ao ponto de fadiga voluntária (i.e. antes da falha concêntrica) promova ativação muscular similar ao realizado até a falha concêntrica. Dessa forma, o objetivo do presente estudo será comparar o efeito agudo do treinamento de força de alta (TFAI) e baixa (TFBI) intensidade realizado até a fadiga voluntária e falha concêntrica na ativação muscular. Para isso serão recrutados 15 homens jovens e não praticantes de TF e realizarão quatro diferentes condições experimentais de TF de forma aleatorizada em um design crossover a fim de reduzir a variabilidade inter-indivíduos: 1) Treinamento de força de alta intensidade realizado até a fadiga voluntária (TFAI-Volun); 2) Treinamento de força de alta intensidade até a falha concêntrica (TFAI-Falha); 3) Treinamento de força de baixa intensidade realizado até a fadiga voluntária (TFBI-Volun); e 4) Treinamento de força de baixa intensidade realizado até a falha concêntrica (TFBI-Falha). O intervalo entre as sessões de TF será de 72h. Será realizado o teste de uma repetição máxima (1-RM) na cadeira extensora para quantificação da intensidade das sessões de TF. Em cada uma das sessões de TF será realizada a mensuração da ativação muscular por meio da eletromiografia de superfície (EMG) dos músculos reto femoral (RF), vasto lateral (VL) e vasto medial (VM).

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NOBREGA, SANMY R.; UGRINOWITSCH, CARLOS; PINTANEL, LUCAS; BARCELOS, CINTIA; LIBARDI, CLEITON A. EFFECT OF RESISTANCE TRAINING TO MUSCLE FAILURE VS. VOLITIONAL INTERRUPTION AT HIGH- AND LOW-INTENSITIES ON MUSCLE MASS AND STRENGTH. JOURNAL OF STRENGTH AND CONDITIONING RESEARCH, v. 32, n. 1, p. 162-169, JAN 2018. Citações Web of Science: 12.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.