Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo sobre a relação entre cirrose biliar e síndrome hepatopulmonar e sua reversibilidade em ratos jovens submetidos à ligação do ducto biliar comum

Processo: 14/24166-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Ana Cristina Aoun Tannuri
Beneficiário:Leonardo Ervolino Corbi
Instituição-sede: Instituto da Criança Professor Doutor Pedro de Alcantara (ICR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia pediátrica   Síndrome hepatopulmonar   Atresia biliar

Resumo

Introdução: Na clínica pediátrica, uma importante causa de doença hepática é a atresia de vias biliares, que mesmo após intervenções cirúrgicas evolui para cirrose biliar e necessidade de transplante hepático. Dentre as complicações da cirrose hepática em outros órgãos está a síndrome hepatopulmonar. Sua fisiopatologia continua não completamente compreendida, não tendo sido estabelecido em que estágio da doença hepática ela se inicia. A resolução de questões como essa, além do esclarecimento da possibilidade de reversão da síndrome hepatopulmonar seriam de importância para o manejo de complicações da doença hepática pediátrica. Objetivos: estudar, por métodos histológicos, gasométricos e moleculares, a ocorrência de síndrome hepatopulmonar após a ligadura do ducto biliar comum em ratos jovens, correlacionando-a com o grau da cirrose hepática; verificar se ocorre melhora do quadro pulmonar após reconstrução do fluxo biliar e em até quanto tempo este procedimento é efetivo, baseando-se nas pressões parciais de O2 e CO2 e do gradiente arterio-alveolar de O2, nos parâmetros histológicos e moleculares. Material e métodos: 36 ratos Wistar jovens divididos em 5 grupos serão submetidos à ligação do duto biliar comum. Serão então sacrificados 2, 3, 4, 6 e 8 semanas após o procedimento e biopsiados fígado, para análise histológica, e pulmão, para análise histológica e molecular, além de ser coletado sangue da aorta abdominal para gasometria arterial. Outros 36 ratos divididos em 5 grupos serão submetidos à mesma cirurgia, tendo seus fluxos biliares reestabelecidos 2, 3, 4, 6 e 8 semanas após o procedimento inicial. Estes serão sacrificados 3 semanas após o segundo procedimento, com posteriores biópsias hepática e pulmonar, além da coleta de sangue arterial para gasometria. (AU)