Busca avançada
Ano de início
Entree

Sigmund Freud e Norbert Elias: diálogos entre psicanálise e sociologia

Processo: 15/04897-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Paulo Cesar Endo
Beneficiário:André Oliveira Costa
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Teoria psicanalítica

Resumo

Esta pesquisa de pós-doutorado é proposta ao Programa de Pós-Graduação Diversitas - Núcleo de Estudo das Diversidades, Intolerâncias e Conflitos (FFLCH/USP). A articulação entre a obra do sociólogo Norbert Elias e a teoria psicanalítica de Sigmund Freud é possível, não apenas pela influência de Freud de Elias, mas pela aproximação daquilo que seus pensamentos pressupõem. Quer dizer, para o sociólogo, as estruturas sociais e as estruturas da personalidade determinam-se mutuamente, assim como, para a psicanálise, não se pode pensar em um indivíduo sem considerar sua inscrição na sociedade, bem como não se pode compreender os processos sociais sem reconhecer as formas singulares que incidem sobre eles. Esta pesquisa, ao suspender a antítese que concebe os termos indivíduo e sociedade como separados e autônomos, visa sustentar a seguinte hipótese: o processo civilizador é uma operação de transmissão da cultura cuja incidência se faz sobre o corpo dos indivíduos. Parte-se da proposição de Elias sobre a noção de processo civilizador, enquanto inscrição que faz as normas e regras sociais operarem nos indivíduos na forma de autorregulação e autocontrole. Por sua vez, a teoria psicanalítica fornece o embasamento para compreender como o corpo - através do recalcamento das pulsões e dos afetos - é o elemento articulador para a transmissão da cultura. Além do mais, a partir dos aportes teóricos de Norbert Elias e Sigmund Freud, pretende-se demonstrar como esse processo de transmissão da cultura é formador de sintomas, ou seja, ele também carrega consigo o contrário daquilo que ele pretende transmitir. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ANDRÉ OLIVEIRA COSTA. Tempo, violência e transmissão. Psicologia USP, v. 27, n. 2, p. 315-325, Ago. 2016.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.