Busca avançada
Ano de início
Entree

Superexpressão da paracoccina: fenótipo e virulência de linhagens de Paracoccidioides brasiliensis

Processo: 14/22561-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Beneficiário:Relber Aguiar Gonçales
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/04088-0 - Lectinas de patógenos, AP.TEM
Assunto(s):Paracoccidioides brasiliensis   Fatores de virulência   Biologia molecular

Resumo

Espécies do gênero Paracoccidioides spp. são fungos patogênicos, termodimórficos e agentes etiológicos da Paracoccidioidomicose (PCM), a principal micose da América Latina. O indivíduo infectado com Paracoccidioides spp. desenvolve uma resposta contra o fungo como forma de eliminá-lo do organismo. A resistência à infecção por P. brasiliensis está associada à secreção de altos níveis de TNF-± e IFN-³. Há muitos esforços para caracterizar componentes fúngicos importantes para sua virulência, utilizando técnicas de knockdown gênico em diferentes fungos patogênicos. Nosso grupo identificou a lectina paracoccina como um componente de leveduras de P. brasiliensis, que é alvo deste projeto. Esta lectina se liga a N-Acetilglucosamina, contribui para o crescimento do fungo e para sua adesão à matriz extracelular. Além disso, induz macrófagos a produzirem TNF-± e altas concentrações de NO e interage com TLR2 e TLR4. Considerando a relevância dos papéis biológicos desempenhados por paracoccina, propomo-nos a desenvolver uma ferramenta molecular que aumente sua expressão gênica em P. brasiliensis, viabilizando os efeitos de superexpressão da paracoccina na levedura e na resposta imunitária do hospedeiro. Os resultados que serão obtidos podem contribuir para o entendimento da participação da paracoccina na biologia do fungo e no curso da PCM experimental. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LUÍSA CZAMANSKI NORA; RELBER AGUIAR GONÇALES; LEONARDO MARTINS-SANTANA; BEATRIZ HENRIQUES FERREIRA; FERNANDO RODRIGUES; RAFAEL SILVA-ROCHA. Synthetic and minimalist vectors for Agrobacterium tumefaciens-mediated transformation of fungi. GENETICS AND MOLECULAR BIOLOGY, v. 42, n. 2, p. 395-398, Jun. 2019. Citações Web of Science: 1.
FERNANDES, FABRICIO F.; OLIVEIRA, ALINE F.; LANDGRAF, TAISE N.; CUNHA, CRISTINA; CARVALHO, AGOSTINHO; VENDRUSCOLO, PATRICIA E.; GONCALES, RELBER A.; ALMEIDA, FAUSTO; DA SILVA, THIAGO A.; RODRIGUES, FERNANDO; ROQUE-BARREIRA, MARIA CRISTINA. Impact of Paracoccin Gene Silencing on Paracoccidioides brasiliensis Virulence. MBIO, v. 8, n. 4 JUL-AUG 2017. Citações Web of Science: 5.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
GONÇALES, Relber Aguiar. Paracoccina: uma quitinase importante para a patobiologia e virulência de Paracoccidioides brasiliensis. 2018. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.