Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil proteômico da lesão renal aguda induzida por isquemia e reperfusão

Processo: 15/04492-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2015
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Alexandre da Costa Pereira
Beneficiário:Pamella Araujo Malagrino
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biomarcadores   Proteômica   Lesão renal aguda

Resumo

A incidência de lesão renal aguda (LRA) tem aumentado muito nos últimos anos, principalmente nos pacientes após transplante renal, após cirurgia cardíaca e em unidade de terapia intensiva, levando ao aumento da taxa de mortalidade desses pacientes. Atualmente o diagnóstico de LRA tem sido baseado no aumento de creatinina sérica e débito urinário, que devido a inúmeros problemas já conhecidos, torna o diagnóstico tardio. Uma das maiores causas de LRA é a isquemia renal devido a processos inflamatórios, falta de ATP e oxigênio para o tecido e aumento das espécies reativas de oxigênio local, que induzem a morte de células tubulares, a chamada necrose tubular aguda. Quando não reperfundida rapidamente, a LRA pode levar a doença renal crônica ou mesmo a morte. Os exames feitos atualmente, como a creatinina sérica, só identificam estágios em que já há a perda de função de grande parte do rim. Além disso, interferências alimentares, metabolismo, sexo e idade podem interferir nos exames, sendo este pouco especifico e sensível. Desta forma torna-se essencial uma melhor compreensão da doença para identificação de marcadores protéicos de LRA que propiciem o desenvolvimento de testes diagnósticos mais específicos e com detecção prévia para se evitar a perda renal ou mesmo recuperá-lo; além de acompanhar o desenvolvimento do quadro dos pacientes da clínica e transplantados. O presente projeto tem como objetivo analisar o proteôma e o nitroproteôma do rim (córtex, túbulos e glomérulos) e da urina em um modelo controlado de lesão renal aguda induzida por isquemia/reperfusão unilateral em modelo suíno bem caracterizado pelo nosso grupo. Para o estudo será utilizada uma marcação isobárica seguida da análise por LC-MS-Orbitrap, padrão ouro em proteômica. Os glomérulos e túbulos renais serão separados por microdissecção a laser. As proteínas nos proteômas e nitroproteômas passarão por análises estatísticas e as significativamente diferentes seguirão para a análise de sistemas biológicos no Ingenuity. Serão selecionadas como candidatas a biomarcadores as proteínas exclusivas renais, após comparação com banco de dados Uniprot, que sejam ou não nitradas pelo estresse oxidativo gerado pela isquemia. As proteínas exclusivas renais serão validadas por imunofluorescencia por confocal, western blot e ELISA e procuradas no soro e na urina via western blot para obtenção desses marcadores de forma sistêmica, facilitando os possíveis diagnósticos. Deste modo, o estudo será capaz de fornecer um maior conhecimento sobre a patofisiologia da doença e potenciais biomarcadores sistêmicos. (AU)