Busca avançada
Ano de início
Entree

Células musculares lisas prostáticas: regulação da diferenciação e da ativação da quinase de adesão focal (FAK) pela interação com o epitélio e com a matriz extracelular

Processo: 15/03235-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Hernandes Faustino de Carvalho
Beneficiário:Daniel Andrés Osorio Rodríguez
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/16150-6 - Regulação androgênica, sinalização e interações celulares no desenvolvimento, fisiologia e regressão prostática, AP.TEM
Assunto(s):Matriz extracelular   Próstata

Resumo

As células musculares lisas são componentes importantes do estroma prostático, sendo responsáveis pela contração do órgão durante a ejaculação, mas também atuando nos mecanismos de regulação parácrina que ocorrem ao longo do desenvolvimento, na estruturação do órgão e nas alterações patológicas como câncer e hiperplasia prostática benigna. Em que pesem suas funções e suas implicações fisiológicas, pouco se conhece dos elementos de regulação e da interação das células musculares lisas ao seu ambiente. Em particular, pouco se sabe de como a matriz extracelular afeta o seu comportamento e de como as propriedades da matriz extracelular regulam o estado diferenciado, a morfologia e a função das células musculares lisas. Neste projeto, procuraremos determinar como a matriz extracelular (colágeno tipo I, Matrigel e fibrina) afeta a organização do citoesqueleto das células musculares lisas em arranjos 2D e 3D. Nestas mesmas situações, verificaremos como a interação com diferentes componentes e arranjos da matriz extracelular relacionam-se com a localização subcelular e ativação de FAK (quinase de adesão focal). Com base nos resultados iniciais, analisaremos (1) o comportamento das células musculares lisas frente a interfaces da matriz extracelular, em particular utilizando gel de colágeno de tipo I moldados em formas geométricas específicas, utilizando moldes construídos por litografia macia e (2) a modificação da morfologia, estado diferenciado e função de células musculares lisas expostas ao plasma solúvel (5% em meio de cultura), associando análises morfológicas, bioquímicas, imunocitoquímicas e microscópicas.