Busca avançada
Ano de início
Entree

O Eldorado dos deserdados. indígenas, escravos, migrantes, fugitivos e a expansão rumo ao oeste amazônico (1850-1880

Processo: 15/08009-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Maria Helena Pereira Toledo Machado
Beneficiário:Antonio Alexandre Isidio Cardoso
Supervisor no Exterior: Barbara Weinstein
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : New York University, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:13/08345-7 - O Eldorado dós deserdados: indígenas, escravos, migrantes, fugitivos e a expansão rumo ão oeste amazônico. (1850-1880), BP.DR
Assunto(s):Trabalho   Indígenas   Escravidão   Amazônia

Resumo

A pesquisa de doutorado "O Eldorado dos Deserdados: indígenas, escravos, migrantes, fugitivos e a expansão rumo ao oeste amazônico (1850-1880)", financiada pela Fapesp e desenvolvida junto ao Programa de Pós-graduação em História Social da USP, tem por objetivo discutir os papéis sociais de habitantes da floresta no âmbito do deslocamento de fronteiras na Amazônia no século XIX. O estudo vem sendo empreendido com base em variadas fontes, como documentação policial, oficial, periódicos, literatura, crônicas de viajantes, entre outras tipologias, levantadas especialmente em arquivos e bibliotecas de Belém e Manaus. O trabalho tem seguindo algumas pistas do referido corpo documental, elegendo três caminhos analíticos como fios condutores: 1 -aprofundamento do estudo do deslocamento de fronteiras tendo em vista o lastreamento social anterior ao "boom" gumífero; 2-análise de testemunhos de viajantes com intuito de investigar as agências de seus interlocutores locais no âmbito da frente de expansão; 3- compreensão das medidas de controle e do estatuto civil dos habitantes das cidades, vilas e florestas na Amazônia no século XIX. Para levar adiante tais questões considera-se fundamental o acesso ao acervo da New York Public Library, segunda maior biblioteca dos EUA, detentora de inumeráveis obras sobre viajantes em trajetos pela Amazônia além de vários periódicos da indústria da borracha. Nesse sentido, pleiteamos estágio de pesquisa junto ao Departament of history da New York University (NYU), sob a supervisão da Professora Barbara Weinstein, pesquisadora da temática amazônica com importantes obras publicadas sobre o rush da borracha em variadas dimensões do processo. Considera-se, portanto, que a consecução do estágio facultará à tese qualificados subsídios para sua elaboração, advindos do levantamento de novas fontes e dos diálogos de pesquisa na NYU. (AU)