Busca avançada
Ano de início
Entree

Romance de Retornados: o Império Português revisitado

Processo: 15/11388-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 05 de setembro de 2015
Vigência (Término): 04 de março de 2016
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Outras Literaturas Vernáculas
Pesquisador responsável:Tania Celestino de Macedo
Beneficiário:Tania Celestino de Macedo
Anfitrião: Maria Manuela Martins Ribeiro Sanches
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade de Lisboa, Portugal  
Assunto(s):Literatura comparada   Literatura portuguesa   Literatura angolana

Resumo

A pesquisa proposta, que se estabelece no campo de intersecção entre Literatura e História e já em andamento (a partir de leituras efetuadas e de pesquisas em bibliotecas e em sítios da internet), pretende verificar como, em uma situação de crise como a enfrentada por Portugal hoje, se articulam discursos artísticos que buscam entender, justificar e/ou ultrapassar o momento. Para atender a esse objetivo, nossa atenção centrou-se no fenômeno literário denominado "romances de retornados", assim como em produtos midiáticos portugueses (séries televisivas e programa de rádio) sobre os mesmos retornados. Segundo entendemos, esses produtos, que se tornaram um sucesso estrondoso de público, buscam respostas aos desastres do presente a partir de um olhar saudosista a um passado recente, situado no final dos anos 1970. A partir das estórias sobre os colonos que retornaram a Portugal após as independências dos países africanos de língua portuguesa e tiveram de reconstruir suas vidas na Europa, efabula-se um Portugal Imperial que, traído pelas independências africanas (e pela esquerda), foi obrigado a encaixotar-se com os pertences dos colonos retornados à antiga metrópole. Traído, porém não esquecido, o fantasma do Império Colonial Português, no momento de crise do país, insinuar-se-á nos discursos que evocam a bravura, a dinamicidade e a competência dos antigos colonizadores em África que souberam "dar novos mundo ao mundo" e, por isso, "contra as injúrias da sorte" puderam reedificar suas vidas. Eles seriam, portanto, os que apresentariam as melhores credenciais para retomarem "o esplendor de Portugal". A partir de um corpus inicialmente composto por 14 romances que focalizam os retornados de Angola, e produtos midiáticos, buscaremos refletir sobre a tensão estabelecida entre a permanência de discursos coloniais e uma situação pós-colonial portuguesa, para, em uma segunda etapa, confrontarmos os textos com as narrativas dos escritores angolanos Manuel Rui e Boaventura Cardoso que se debruçaram sobre a questão dos retornados em suas narrativas. (AU)