Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de compostos voláteis constituintes do aroma de pimentas (Capsicum chinense e Capsicum baccatum) tratadas com metil-jasmonato após a colheita

Processo: 15/10917-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Eduardo Purgatto
Beneficiário:Brunna de Oliveira Carvalho
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia pós-colheita   Amadurecimento   Aroma   Jasmonatos   Hormônios vegetais

Resumo

As mudanças na produção de compostos voláteis durante o amadurecimento de frutos de pimenteira (Capsicum sp.) contribuem para o desenvolvimento de dois atributos sensoriais fundamentais para sua qualidade: o aroma e o sabor. As vias bioquímicas associadas a formação do aroma em frutos foram caracterizadas e parecem ser conservadas em muitas espécies. Contudo, os mecanismos de regulação da expressão gênica e atividade enzimática nestas vias permanecem pouco compreendidos. Em frutos climatéricos, é claro o envolvimento do etileno na indução de genes codificadores de enzimas relacionadas a formação de ésteres, aldeídos, álcoóis, terpenos e outros compostos que formam o aroma dos frutos. Em frutos não-climatéricos, como pimentas, o papel do etileno é pouco conhecido e outros hormônios parece ser mais relevantes. Estudos tem constatado que os jasmonatos - em particular o metil-jasmonato (MJ) - são capazes de induzir aumento na produção de diversas classes de compostos voláteis, através do aumento na expressão de genes relacionados às suas vias biossintéticas. Tomando estas observações como base, o objetivo deste trabalho é avaliar os efeitos do metil-jasmonato sobre a síntese de compostos voláteis do aroma, após a colheita, de duas espécies de pimentas: a habanero (Capsicum chinense) e a dedo-de-moça (Capsicum baccatum). Para tal, frutos colhidos na mudança de cor verde para amarelo ou vermelho, dependendo da pimenta, serão tratados com MJ e parâmetros do amadurecimento como produção de etileno, respiração e cor, serão acompanhados e comparados a frutos controle não tratados. Os compostos voláteis serão analisados por cromatografia à gás acoplada a espectrometria de massas (CG-EM) e os níveis dos principais compostos serão comparados com os encontrados no grupo controle. Este estudo busca evidenciar os efeitos do MJ sobre a produção do aroma de pimentas e as classes orgânicas afetadas pelo tratamento, provendo assim bases científicas para um melhor entendimento da regulação hormonal da síntese de compostos voláteis neste fruto, comparando com os resultados obtidos em outros frutos, climatéricos e não-climatéricos. A escolha de duas espécies também busca avaliar se as vias afetadas pelo MJ são as mesma, indicando um mecanismo conservado de regulação dentro do gênero Capsicum. Além de contribuir para um maior entendimento dos fatores reguladores da formação do aroma em frutos, uma vez evidenciada alterações que possam impactar positivamente no aroma, o projeto pode fornecer subsídios à proposição dos jasmonatos como alternativa para o tratamento de frutos visando manutenção das características sensoriais ao longo da vida pós-colheita. Esta proposta está inserida em uma linha de pesquisa que visa avaliar como os reguladores de crescimento vegetal agem na regulação da formação do aroma em frutos de várias espécies de interesse comercial. Assim, os resultados obtidos com este projeto poderão ser comparados a outros obtidos em tomate, framboesa, morango, mamão e banana, cobrindo um quadro variado de gêneros e espécies, climatéricas e não-climatéricas.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.