Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução sedimentar da formação Sete Lagoas (grupo Bambuí, Norte de Minas Gerais) no contexto das bacias sedimentares do período Ediacarano terminal

Processo: 15/07391-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Lucas Verissimo Warren
Beneficiário:Juliana Okubo
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/19023-1 - Dados isotópicos de enxofre e minerais-índice da Formação Sete Lagoas (Grupo Bambuí), BE.EP.DR
Assunto(s):Sedimentologia   Estratigrafia   Bacias sedimentares

Resumo

A transição entre os Éons Proterozoico e Fanerozoico é caracterizada por pelo menos três importantes eventos glaciais (Sturtiana, Marinoana e Gaskiers), sucedidos por uma ampla sedimentação carbonática. O Grupo Bambuí (especialmente a Formação Sete Lagoas) tem sido alvo de diversos estudos sedimentológicos, geocronológicos e isotópicos nas últimas décadas, sendo associado à glaciação Sturtiana ou Marinoana. A ocorrência de fósseis do gênero Cloudina sp. confirma idade ediacarana terminal para a Formação Sete Lagoas e indica que tal unidade é seguramente mais jovem que a glaciação Gaskiers. Na área de estudo, localizada na região de Januária-MG, praticamente inexistem estudos focados na análise estratigráfica e sedimentológica para esta unidade. Essa carência de estudos de detalhe inviabiliza a plena correlação da Formação Sete Lagoas com outras unidades coevas e também com exposições a sul do cráton do São Francisco. O presente projeto visa conduzir estudos sedimentológicos e estratigráficos de detalhe em sucessões ediacaranas da Formação Sete Lagoas (Grupo Bambuí) na região de Januária, norte de Minas Gerais. Serão utilizados conceitos de análise de fácies, elementos arquiteturais, e análise de paleocorrentes a fim de compor um quadro deposicional e paleogeográfico adequado para a Formação Sete Lagoas, bem como a análise de ciclos sedimentares para a sucessão basal do Grupo Bambuí. A obtenção de valores isotópicos de C e O em seções detalhadas também auxiliará sobremaneira na caracterização paleoambiental do ambiente em que se depositou a unidade. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
UHLEIN, GABRIEL J.; UHLEIN, ALEXANDRE; PEREIRA, EGBERTO; CAXITO, FABRICIO A.; OKUBO, JULIANA; WARREN, LUCAS V.; SIAL, ALCIDES N. Ediacaran paleoenvironmental changes recorded in the mixed carbonate-siliciclastic Bambui Basin, Brazil. PALAEOGEOGRAPHY PALAEOCLIMATOLOGY PALAEOECOLOGY, v. 517, p. 39-51, MAR 1 2019. Citações Web of Science: 5.
OKUBO, J.; MUSCENTE, A. D.; LUVIZOTTO, G. L.; UHLEIN, G. J.; WARREN, V, L. Phosphogenesis, aragonite fan formation and seafloor environments following the Marinoan glaciation. Precambrian Research, v. 311, p. 24-36, JUL 2018. Citações Web of Science: 5.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
OKUBO, Juliana. Evolução sedimentar e paleoambiental da Formação Sete Lagoas (Grupo Bambuí, norte de Minas Gerais) no contexto das bacias sedimentares do Ediacarano terminal. 2019. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Geociências e Ciências Exatas..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.