Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento e caracterização genotípica de Toxoplasma gondii e detecção molecular de protozoários da família Sarcocystidae em animais selvagens atropelados em áreas adjacentes ao Parque Estadual da Cantareira, SP

Processo: 15/00501-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2015
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Solange Maria Gennari
Beneficiário:Sérgio Netto Vitaliano
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Protozoologia   Animais selvagens   Sarcocystidae   Técnicas de genotipagem   Toxoplasma gondii

Resumo

O presente projeto visa estudar aspectos epidemiológicos de coccídios formadores de cistos, Família Sarcocystidae, de importância médica e veterinária em áreas adjacentes ao Parque Estadual da Cantareira, SP. Essa família é dividida em 3 subfamílias: Sarcocystinae, Cystoisosporinae e Toxoplasmatinae, sendo esta última uma subfamília com poucas espécies agrupadas nos gêneros Toxoplasma, Neospora, Hammondia e Besnoitia. Dentre estes coccídios, por sua importância zoonótica, destaca-se o Toxoplasma gondii, agente de uma das infecções mais comuns em mamíferos e aves. Embora pesquisas indiquem que os animais selvagens são frequentemente positivos nos testes sorológicos para T. gondii, o papel da vida selvagem na transmissão desse agente não é bem conhecido, tampouco qual perfil genotípico predomina nos animais selvagens. Até o presente momento, foram realizados poucos estudos sobre a caracterização do perfil genotípico de T. gondii em animais selvagens do Brasil, entretanto, diversos estudos deixam claro que a presença dos genótipos "atípicos" não são anormalidades insignificantes na estrutura populacional deste parasito, pelo contrário, eles compõem grande parcela da população de T. gondii caracterizada no continente Sul-americano. O desenvolvimento urbano pode causar grandes impactos em populações de diversas espécies selvagens. Estudos sobre atropelamentos indicam o impacto deste fenômeno na biodiversidade, apontando a existência de espécies mais susceptíveis, além do impacto direto pela redução da densidade populacional. Deste modo, este projeto visa realizar a detecção molecular de parasitos da família Sarcocystidae, além de isolar e caracterizar genotipicamente T. gondii utilizando amostras biológicas de animais selvagens atropelados. (AU)