Busca avançada
Ano de início
Entree

Teste em esteira e teste do degrau para avaliação do broncoespasmo induzido pelo exercício: eles são intercambiáveis?

Processo: 15/06964-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Simone Dal Corso
Beneficiário:Jessyca Pachi Rodrigues Selman
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/10062-1 - Teste em esteira e teste do degrau para avaliação do broncoespasmo induzido pelo exercício: eles são intercambiáveis?, BE.EP.MS
Assunto(s):Crianças   Asma   Fisioterapia

Resumo

Os testes de broncoprovocação com exercícios mais utilizados e citados na literatura são os testes em cicloergômetro e esteira ergométrica. O teste do degrau é um teste simples, com a vantagem de poder ser realizado em qualquer ambiente. O objetivo deste estudo é comparar o teste do degrau incremental (TDI) com o teste cardiopulmonar incremental em esteira para avaliação do broncoespasmo induzido pelo exercício (BIE) em pacientes com diagnóstico de asma; secundariamente, contrastar a demanda cardiorrespiratória durante o exercício entre ambos os testes. Serão avaliados 53 pacientes com asma, provenientes do Ambulatório de Asma da Disciplina de Alergia, Imunologia Clínica e Reumatologia do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), com idade entre 7 e 18 anos, de ambos os gêneros, estáveis clinicamente e com ausência de sintomatologia compatível com quadro de infecção viral (resfriado ou gripe) nas últimas seis semanas. Os critérios de exclusão serão: escore 5 de gravidade, segundo Global Initiative for Asthma (GINA), presença de outras doenças pulmonares crônicas, comorbidades e tabagismo. O protocolo constará de duas visitas, separadas por pelo menos 72 horas, e a ordem dos testes será randomizada. Em ambas as visitas os pacientes realizarão a seguinte sequência: espirometria pré exercício, teste de exercício de broncoprovocação (segundo a randomização) juntamente com a análise dos gases expirados e espirometria nos tempos 5, 10, 15, 20 e 30 minutos após o exercício. A hipótese do nosso estudo é que o teste do degrau incremental e o teste em esteira serão equivalentes em induzir o BIE, pois as demandas cardiopulmonares serão similares entre esses testes. Se nossa hipótese se confirmar, o TDI poderá ser utilizado como teste de broncoprovocação por exercício, com a vantagem de ser mais acessível e de baixo custo para ser realizado em consultório ou ambulatório. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)