Busca avançada
Ano de início
Entree

Polimorfismo dos antígenos plaquetários humanos (HPA) em pacientes infectados pelo vírus da Imunodefiência humana (HIV)

Processo: 15/05672-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2015
Vigência (Término): 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Rejane Maria Tommasini Grotto
Beneficiário:Gabrielle Moraes de Freitas
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Polimorfismo genético   HIV

Resumo

O Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) apresenta como principal receptor de entrada na célula alvo a molécula CD4, embora o HIV se associe à plaquetas e, estas não expressem CD4. Assim, outras moléculas poderiam estar envolvidas na interação plaqueta-HIV, tais como moléculas de adesão, uma vez que estas já foram associadas com a entrada de outros vírus em suas células alvo. A membrana plaquetária expressa integrinas, as quais possuem determinantes antigênicos polimórficos conhecidos como Antígenos Plaquetários Humanos (HPA) e, seu polimorfismo já foi associado a presença de outros vírus como o Vírus da Hepatite C (VHC) e o vírus da dengue. Neste contexto, a finalidade deste trabalho é avaliar, de forma ainda inédita na literatura, uma possível associação entre o polimorfismo HPA -1, -3 e -5 em 100 pacientes infectados pelo HIV e, correlacionar o polimorfismo destes antígenos com parâmetros clínicos e laboratoriais da progressão da infecção. DNA genômico extraído de sangue total será utilizado para análise do polimorfismo do HPA -1 e -3 será realizada por PCR-SSP e, do HPA -5 por PCR-RFLP. RNA viral extraído do plasma será utilizado para determinação da carga viral do HIV por q-PCR. Parâmetros clínicos e laboratoriais da progressão da infecção serão retirados dos prontuários médicos dos pacientes incluídos no estudo. O teste de qui-quadrado será utilizado para investigar possíveis associações entre o polimorfismo dos sistemas HPA estudados e (a) a presença do HIV, (b) a carga viral do HIV, (c) o nível de células T CD4 e, (d) a presença de aids.