Busca avançada
Ano de início
Entree

O efeito da igualação e não igualação do intervalo entre tentativas sobre o autocontrole de crianças com desenvolvimento típico

Processo: 15/06065-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Antonio Celso de Noronha Goyos
Beneficiário:Julia Varoto
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Autocontrole   Análise do comportamento

Resumo

Autocontrole é definido pelos comportamentos de escolha da consequência atrasada de maior qualidade e/ou maior magnitude (e.g. maior tamanho ou quantidade) em oposição à escolha da consequência imediata de menor quantidade e/ou magnitude. O conceito de impulsividade, por sua vez, é a relação oposta à de escolha ( i.e., a escolha da consequência reforçadora imediata de menor qualidade ou magnitude). Um conflito é estabelecido quando diferentes consequências e atrasos são disponibilizadas, uma vez que requer uma escolha entre duas respostas concorrentes. Comportamentos de autocontrole são valorizados socialmente. Por exemplo, dedicar grande parte do tempo aos estudos ao invés de divertir-se com amigos em atividades prazerosas é uma escolha considerada de autocontrole por garantir, em um prazo médio ou longo, acesso a consequências reforçadoras como, por exemplo, tirar "boas notas" e ter uma carreira de sucesso. Apesar das consequências reforçadoras encontrarem-se distantes temporalmente, o desenvolvimento de repertórios de autocontrole possibilita ao indivíduo acesso à consequências de grande impacto em sua vida (e.g. obter uma carreira de sucesso, estabilidade financeira, obter uma vida saudável). Geralmente, o procedimento dos estudos que investigam autocontrole consiste em disponibilizar em tentativas a escolha entre a consequência imediata de menor magnitude e a consequência atrasada de maior magnitude. Com o objetivo de garantir controle experimental, a maioria destes estudos iguala o intervalo entre tentativas independente da consequência (imediata ou atrasada) escolhida. Deste modo, na escolha da consequência imediata o tempo referente à espera pela consequência atrasada é somado no intervalo entre uma tentativa e outra. Outra parte dos estudos da área não explicitam na descrição de seus procedimentos se houve, ou não, igualação do intervalo entre tentativas. O objetivo do presente estudo é investigar, em um delineamento de sujeito único, o efeito do intervalo entre tentativas com e sem igualação sobre o autocontrole de crianças pré-escolares com desenvolvimento típico. A pesquisa será realizada com crianças pré-escolares por essa população ser descrita pela literatura da área como de grande probabilidade de emitir respostas impulsivas. Participarão do estudo seis crianças com idade entre três a quatro anos. O trabalho será desenvolvido em cinco fases: uma dentro do procedimento preliminar (avaliação de preferência) e quatro dentro do procedimento geral [treino de discriminação simples com reversão (Fase 2), Treino de magnitude do reforço com reversão (Fase3), Treino do atraso do reforço (Fase 4), Intervalo entre tentativas igualado com reversão da igualação (Fase 5). Na Fase 1 o objetivo é identificar os estímulos de preferência dos participantes, a fim de serem utilizados nas demais fases do estudo. O objetivo da Fase 2 é realizar o treino de discriminação simples entre os dois cartões apresentados simultaneamente, quando um tem a função de S+ e o outro de S-. O objetivo da Fase 3 é treinar a discriminação da magnitude do reforço. O objetivo da Fase 4 é realizar o treino do atraso do reforço e por último, a Fase 5 terá como objetivo avaliar o comportamento dos participantes expostos a tentativas com igualação do intervalo entre tentativas e sem igualação do intervalo.