Busca avançada
Ano de início
Entree

Práticas médicas: etnografia de um Centro de Referência no tratamento hospitalar da Tuberculose

Processo: 15/10186-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Teoria Antropológica
Pesquisador responsável:Anna Catarina Morawska Vianna
Beneficiário:Juliana Ramos Boldrin
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Antropologia médica   Tuberculose   Cooperação e adesão ao tratamento   Tempo de internação   Assistência médica   Diagnóstico clínico   Etnografia

Resumo

Este projeto de pesquisa tem por objetivo uma análise das práticas relacionadas ao tratamento dos pacientes com tuberculose em internação, a fim de descrever os modos pelos quais essas práticas fazem a doença aparecer, ou seja, como a existência da tuberculose emerge a partir de práticas que vinculam bacilo, sintomas e cura através dos diversos saberes e atores. A partir de pesquisa de campo realizada no centro de referência Nestor Goulart Reis, parte do Hospital Estadual de Américo Brasiliense, localizado no município de Américo Brasiliense - SP, busca-se produzir uma etnografia das práticas dos agentes de saúde. Mais especificamente, pretende-se investigar: a) quais os procedimentos e profissionais envolvidos no tratamento da tuberculose multirresistente; b) os saberes e tecnologias mobilizados por cada profissional - assistentes sociais, enfermeiros, técnicos de laboratório, médicos - na identificação e tratamento da tuberculose. Este projeto, em diálogo com a literatura de antropologia médica, busca contribuir aos debates metodológicos e as discussões relacionadas à prática de internação compulsória no campo da saúde, em vista dos dilemas que provoca. Como parte dos esforços do Laboratório de Experimentações Etnográficas (LE-E) vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da UFSCar, esta pesquisa propõe um exercício de descrição etnográfica das práticas realizadas no tratamento e, portanto, dos atores e saberes envolvidos nelas, a fim de mostrar como a gama de informações produzida nos vários lugares em que a doença aparece se vinculam coerentemente em um diagnóstico estabilizado.