Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do gênero nas adaptações hemodinâmicas e neuroimunes induzidas pelo treinamento físico resistido dinâmico em modelo experimental de hipertensão arterial

Processo: 15/10329-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Kátia de Angelis Lobo D Avila
Beneficiário:Amanda Aparecida de Araujo
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Reabilitação (terapêutica médica)   Sistema musculoesquelético   Hipertensão   Barorreflexo   Ratos endogâmicos SHR

Resumo

As doenças cardiovasculares são a maior causa de morte no mundo. Dentre os fatores de risco que levam ao desenvolvimento destas doenças, a hipertensão apresenta grande prevalência em ambos os sexos. O exercício físico regular, principalmente aeróbio dinâmico, vem sendo recomendado como conduta não farmacológica no manejo de pacientes cardiopatas. Todavia, os efeitos do treinamento físico resistido em sujeitos hipertensos permanece pouco estudado. Neste sentido, o presente estudo tem como objetivo investigar a influência do gênero nas adaptações hemodinâmicas, autonômicas, de estresse oxidativo e de inflamação induzidas pelo treinamento físico resistido dinâmico de moderada intensidade em um modelo de hipertensão arterial. Para tanto, 32 ratos espontaneamente hipertensos (SHR) serão divididos em 4 grupos (n=8 em cada): fêmeas sedentárias (FS) - serão acompanhadas durante 8 semanas; fêmeas treinadas (FT) - serão submetidos ao treinamento resistido durante 8 semanas; machos sedentários (MS) - serão acompanhadas durante 8 semanas; machos treinados (MT) - serão submetidos ao treinamento resistido durante 8 semanas. Os animais serão treinados em escada adaptada com intensidade moderada (40-60% da carga máxima) durante oito semanas. Ao final do período de treinamento físico serão avaliados: capacidade física, atividade das enzimas cintrato sintase e fosfofrutoquinase e o tipo de fibra muscular; pressão arterial e frequência cardíaca; sensibilidade barorreflexa e modulação autonômica cardíaca e vascular; estresse oxidativo (lipoperoxidação; proteínas carbolinadas; aniôn superóxido e peróxido de hidrogênio; catalase; capacidade antioxidante total; superóxido dismutase e glutationa peroxidase; balanço redox da glutationa (GSH/GSSG); biodisponibilidade de óxido nítrico (concentração de nitritos e nitratos) e mediadores inflamatórios (TNF alfa, IL_1beta, IL-6 e IL-10). (AU)