Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa de alquilresorcinóis em cultivares de cana-de-açúcar e avaliação de eventual efeito protetor frente a patógenos fúngicos

Processo: 15/11339-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Alberto José Cavalheiro
Beneficiário:Aline Ferrari Pauletto
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07600-3 - CIBFar - Centro de Inovação em Biodiversidade e Fármacos, AP.CEPID
Assunto(s):Cana-de-açúcar   Fitopatologia   Química de produtos naturais

Resumo

A cana-de-açúcar é uma cultura de grande importância para a economia brasileira, principalmente na produção de etanol e açúcar. Esta planta está sujeita a diversas doenças causadas por bactérias, fungos e vírus, o que compromete a biodiversidade e economia do país. Apesar de existirem cultivares de cana-de-açúcar resistentes a patógeno, a base molecular dessa resistência não é conhecida e estudos que visam estabelecer uma relação entre a composição química e a resistência do hospedeiro ao patógeno ainda são pouco explorados. Em estudo de doutorado recentemente concluído em nosso grupo de pesquisa, verificamos a ocorrência de alquilresorcinois na cera epicuticular de cana. Estas substâncias possuem reconhecida ação antimicrobiana e como a cera epicuticular é a primeira defesa de uma planta contra um patógeno, o estudo da composição química desta auxiliará na compreensão da diferente reação das espécies frente o patógeno. Portanto, este estudo propõe comparar o nível de alquilresorcinóis em cera epicuticular de folhas de diferentes cultivares de cana-de-açúcar, com resistência diferencial a patógenos fúngicos, realizando análises por cromatografia gasosa e cromatografia liquida de alta eficiência, visando confirmar a relação dessas substâncias com a resistência da cana a fungos patogênicos.