Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos efeitos da Vitamina C sobre a defesa antioxidante enzimática na fase aguda da Doença de Chagas em camundongos experimentalmente infectados com a cepa QM2 de Trypanosoma Cruzi

Processo: 15/09561-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Luciamare Perinetti Alves Martins
Beneficiário:Ludmyla Toller Cocco
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse oxidativo   Catalase   Trypanosoma cruzi   Vitamina C   Protozoologia

Resumo

A infecção na doença de Chagas apresenta uma fase aguda, com elevada parasitemia e formação de ninhos amastigotas, e uma fase crônica com lesão dos plexos nervosos cardíaco, mioentérico e esofágico através de ação imune e do protozoário Trypanosoma cruzi, levando às apresentações da doença como cardiomegalia, megacólon e megaesôfago. O mecanismo de danos se dá pela formação de espécies reativas de oxigênio (EROs) a partir da ativação de macrófagos pelo T. cruzi. Sendo uma doença que possui um alto potencial de lesão tecidual, o aumento da capacidade de defesa antioxidante do hospedeiro, por meio de terapias antioxidantes, como o uso de vitamina C, poderia ser benéfico. A proposta deste projeto é avaliar o efeito da suplementação da vitamina C, na dosagem equivalente a 500 mg/dia, sobre a defesa antioxidante enzimática e suas repercussões sobre a capacidade antioxidante total dos tecidos no contexto da evolução da fase aguda da doença de Chagas. Serão analisados 48 camundongos "Swiss" machos com 20 dias de idade divididos em quatro grupos de 12 animais denominados grupos A,B,C e D. Os grupos A e B não serão infectados, com B recebendo a vitamina C; e os grupos C e D infectados com formas tripomastigotas, com D recebendo a vitamina C. Os grupos receberão esse tratamento por 60 dias. Quatro animais de cada grupo serão eutanasiados aos 15º, 30º e no 60º dia. Serão coletados fragmentos do músculo cardíaco, da coxa e do fígado para determinar a atividade das enzimas Catalase e Glicose-6-fosfato desidrogenase e comparar a capacidade antioxidativa de cada tecido por meio da técnica "Ferric-Reducing Antioxidant Power" (FRAP). Com este auxílio à pesquisa pretende-se encontrar resultados que favoreçam ou contra-indiquem a suplementação com vitamina C.