Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo morfofuncional e molecular da função erétil e do baixo trato urinário em ratos com insuficiência cardíaca crônica: avaliação da via de sinalização NO-GCs-GMPc

Processo: 15/12691-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Mário Angelo Claudino
Beneficiário:Douglas Rafael Andrade
Instituição-sede: Universidade São Francisco (USF). Campus Bragança Paulista. Bragança Paulista , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/21095-4 - Estudo morfofuncional e molecular da função erétil e do baixo trato urinário em ratos com insuficiência cardíaca crônica: avaliação da via de sinalização NO-GCs-GMPc, AP.JP
Assunto(s):Insuficiência cardíaca   Disfunção erétil   Sintomas do trato urinário inferior   Fatores de risco   Citrato de sildenafila

Resumo

A insuficiência cardíaca crônica (ICC) acomete 6,4 milhões de pessoas no Brasil tornando-se um desafio para a saúde pública. Trabalhos têm demonstrado uma forte associação de ICC com o desenvolvimento da disfunção erétil (DE) e sintomas do baixo trato urinário (LUTS). Estudos epidemiológicos demonstraram que 58-85% dos pacientes com ICC relataram algum episódio de DE. Sendo que, aproximadamente 75% destes pacientes relataram comprometimento da libido e 30% apresentam ausência completa de atividades sexuais. Além disso, estudos realizados em pacientes com ICC demonstraram que 34% dos homens e 62% das mulheres relataram ser portadoras de LUTS. Embora os índices de DE e LUTS em pacientes com ICC sejam elevados não há estudos experimentais ou em humanos avaliando os mecanismos responsáveis por estas disfunções urogenitais. Evidências mostram que a ICC, DE e LUTS apresentam fatores de riscos semelhantes como, diabetes mellitus e doenças cardiovasculares. Esses fatores de riscos estão associados à disfunção do sistema nervoso autônomo e alterações em importantes vias de sinalização como, a via do óxido nítrico-guanilil ciclase solúvel-guanosina monofosfato cíclico (NO-GCs-GMPc). Drogas foram sintetizadas para mimetizar o efeito exercido pelo NO, sendo divididas em dois grupos: os que atuam de maneira dependente de NO, inibindo a degradação de GMPc (sildenafil); e os que atuam de maneira independente de NO, elevando os níveis de GMPc (estimuladores e indutores da GCs). O sildenafil tem sido utilizado para o tratamento de desordens associadas à ICC como a hipertensão pulmonar e a DE, porém, nenhum estudo avaliou o efeito dos inibidores de PDE5 nas demais disfunções urogenitais desses pacientes. Além disso, trabalhos mostraram que o sildenafil promove relaxamento na musculatura lisa cavernosa (CC) e detrusor. Portanto, o sildenafil pode ser um agente com potencial terapêutico em doenças onde exista o comprometimento da via NO-GCs-GMPc. Desta forma, o projeto propõe investigar as alterações da função erétil e do baixo trato urinário decorrente da insuficiência cardíaca crônica (ICC), procurando explorar as alterações morfofuncionais, bioquímicas e moleculares, bem como, as respostas relaxantes e contráteis do tecido erétil e da bexiga urinária e a medida da pressão intracavernosa e cistometria (in vivo). Além de, elucidar a contribuição dos tratamentos crônicos com agentes que atuam de maneira dependente de NO (sildenafil), procurando restaurar a via de sinalização NO-GCs-GMPc.