Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos sistemas rotatório e reciprocante com diferentes ligas na desobturação em retratamentos endodônticos

Processo: 15/08911-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Marco Antonio Hungaro Duarte
Beneficiário:Amanda Garcia Alves Maliza
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Microscopia confocal   Microtomografia por raio X   Obturação do canal radicular   Retratamento

Resumo

O principal objetivo da terapia endodôntica é limpar, modelar, eliminar a infecção e obturar tridimensionalmente o sistema de canais radiculares a fim de evitar uma recontaminação. Contudo, mesmo alcançando esses objetivos, falhas podem ocorrer no tratamento endodôntico, levando à necessidade de um retratamento, quando indicado. O presente trabalho terá como objetivo avaliar os efeitos decorrentes da desobturação, reinstrumentação e reobturação de canais radiculares com diferentes ligas de NiTi em casos de retratamento endodôntico. Primeiramente, será realizado a seleção e o pareamento da anatomia de canais mesiais de primeiros molares inferiores (n=45) através de microtomografia computadorizada (micro-CT). Após o pareamento dos espécimes, os mesmos serão instrumentados com o sistema Mtwo® até a lima 25.06 e novamente escaneados por micro-CT. Em seguida, serão obturados pela técnica do cone único utilizando o cimento Endofill® acrescido de 0,1% de rodamina B e outra vez escaneados por micro-CT e armazenados em estufa a 37ºC com 100% de umidade, durante 7 dias. Para o retratamento dos espécimes, serão estabelecidos 3 grupos, de acordo com o sistema utilizado (Reciproc®, Hyflex® ou ProDesign Duo Híbrido®). Durante o retratamento, os espécimes serão escaneados em micro-CT por mais 2 vezes em diferentes etapas, sendo a primeira logo após a desobturação e a segunda após a reinstrumentação dos canais. Todas as imagens obtidas referentes ao pré e pós retratamento serão confrontadas com o intuito de avaliar a capacidade de remoção de material obturador de cada sistema, além de avaliar possíveis desvios dos canais. Serão avaliados também, o tempo efetivo de desobturação e de reinstrumentação desses canais com os diferentes sistemas, além do acúmulo de material obturador e debris extruídos via forame durante a desobturação e reinstrumentação respectivamente, os quais serão calculados volumetricamente em micro CT. Após a desobturação e reinstrumentação dos canais, os mesmos serão reobturados com a mesma técnica descrita, porém com cimento AH Plus® acrescido de 0,1% de fluoresceína, sendo armazenados novamente em estufa a 37ºC com 100% de umidade, durante 7 dias. Decorrido o tempo proposto, os espécimes serão cortados transversalmente em máquina Isomet, resultando em fatias de 2 mm, para serem analisados em microscópio confocal de varredura a laser (MCVL) a 2, 4 e 6 mm do ápice, onde será avaliado, através do software LAS X 3D e 2D, o perímetro total do canal radicular, o comprimento de material obturador antigo e a profundidade de penetração no interior dos túbulos dentinários de cimento remanescente antigo. Para determinar o teste estatístico adequado, os dados obtidos em cada análise serão submetidos ao teste de normalidade de D'Agostino e Pearson, onde será adotado o nível de significância de 5%. (AU)