Busca avançada
Ano de início
Entree

Leguminosas taniníferas como estratégia nutricional na mitigação de metano em bovinos e a interface entre planta-animal-solo

Processo: 14/23656-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Ives Cláudio da Silva Bueno
Beneficiário:Gisele Maria Fagundes
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Gases do efeito estufa   Nutrição de ruminantes   Sustentabilidade   Ruminantes

Resumo

O Brasil ocupa uma posição de destaque no fornecimento de carne para o mercado mundial, sendo o maior exportador de carne bovina do mundo. No entanto o Brasil se destaca também como um dos grandes contribuintes em emissões de CH4 pelos ruminantes. Atualmente, somente a categoria de bovinos contribui com 96% das emissões de metano provenientes da fermentação entérica na pecuária do país; E possivelmente, no futuro, tais emissões provenientes da pecuária nacional possa ser motivo para a criação de barreiras para a exportação mundial de nossa carne. Contudo, ocorre a necessidade de mais pesquisas por alternativas nutricionais para a redução de metano, sem afetar ou diminuir a produtividade da carne e do leite. Neste contexto, este projeto tem por objetivo identificar alternativas nutricionais para reduzir a produção de metano entérico pelos ruminantes. Para isso, será mensurada a produção de metano entérico in vitro de bovinos alimentados com leguminosas ricas em taninos condensados (TC), bem como seus efeitos sobre a microbiota ruminal e subsequente efeito das fezes contendo esses TC sobre a população microbiana do solo. Os resultados deste projeto contribuirão para o conhecimento de alternativas nutricionais de redução de metano, viáveis para as condições dos trópicos e para a adoção de nossos produtores, garantindo dessa forma o desenvolvimento da pecuária nacional, sem, contudo, prejudicar o meio ambiente.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: