Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos de polimorfismos genéticos em parâmetros de saúde em idosas

Processo: 14/18161-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Carlos Roberto Bueno Júnior
Beneficiário:Letícia Perticarrara Ferezin
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Genética   Capacidade funcional

Resumo

INTRODUÇÃO: O envelhecimento populacional é um acentuado fenômeno mundial. Segundo Papaléo Netto (1996), o envelhecimento é um processo dinâmico e progressivo em que há várias modificações morfológicas, funcionais, bioquímicas e psicológicas. Além dos fatores ambientais relacionados ao estilo de vida, como prática de atividade física e alimentação, a genética possui uma grande importância para retardar ou acelerar o processo de envelhecimento, pois contribui de forma significativa para explicar a grande variabilidade dos declínios fisiológicos e morfológicos de um idoso para outro. Por isso, é importante investigar as relações e interações entre os polimorfismos genéticos, o envelhecimento e o ambiente para o entendimento dos fenótipos ligados a esta fase da vida. Polimorfismos são variantes genéticas nas quais a frequência do alelo raro é maior do que 1% e vários estudos apontam que variantes genéticas nos genes que codificam AKT1, AGTR1 e a visfatina podem potencialmente explicar a diferença na magnitude dos declínios característicos do envelhecimento. Por fim, estudos que buscam estudar as relações entre o envelhecimento, a genética e os parâmetros de saúde apresentam grande aplicação para a prática profissional, pois a partir de seus achados será possível predizer as variáveis de saúde de cada idoso que serão mais prejudicadas antes dele atingir a terceira idade e com isso planejar intervenções específicas que previnam estes declínios na saúde. OBJETIVOS: Estudar os efeitos dos polimorfismos AKT1 G205T (rs1130214), AGTR1 A1166C (rs5186) e visfatina (rs4730153) em parâmetros de saúde de idosos. MATERIAL E MÉTODOS: Trata-se de um estudo descritivo de característica transversal e a amostra será composta por mulheres idosas. Será calculado o tamanho amostral a partir de uma amostra piloto (n=10 para cada grupo). Os indivíduos serão divididos em dois grupos em relação a cada um dos polimorfismos (AKT1: GG/GT ou TT; AGTR1: AA/AC ou CC; visfatina: GG ou AG). Além da genotipagem, serão realizadas as seguintes avaliações: antropométrica (massa corporal, estatura e circunferência da cintura), da glicemia, do perfil lipídico sanguíneo, da pressão arterial, do nível de atividade física (IPAQ), da capacidade funcional (força de membros inferiores e superiores, agilidade e equilíbrio, capacidade cardiorrespiratória e flexibilidade) e nutricional (Formulário de Marcadores do Consumo Alimentar do Ministério da Saúde). Em relação à análise estatística será realizada uma análise exploratória e descritiva, a distribuição dos dados será analisada por meio do teste de Kolmogorov-Smirnov e a comparação entre os grupos com diferentes genótipos será realizada pelo teste t para amostras independentes em relação a cada um dos polimorfismos genéticos caso os dados apresentem distribuição normal (o que esperado pela literatura científica) - o nível de significância considerado será de 5%.