Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da substituição de grão de destilaria por milho em dietas com alta forragem

Processo: 15/17108-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 24 de outubro de 2015
Vigência (Término): 17 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Luis Felipe Prada e Silva
Beneficiário:Viviane Borba Ferrari
Supervisor no Exterior: James Curtis Macdonald
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Nebraska-Lincoln (UNL), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:13/18125-4 - Efeito de níveis e fontes de carboidratos não fibrosos sobre o ganho de peso, consumo, características da carcaça e cinética ruminal de tourinhos em terminação., BP.DR
Assunto(s):Bovinos de corte   Forragem   Matéria seca do alimento   Eficiência alimentar   Ganho de peso

Resumo

Grãos de destilaria tem sido uma fonte de suplementação nos para a produção de gado de corte nos Estados Unidos devido ao seu alto conteúdo proteico e energético e por seu preço inferior ao do milho. Com o aumento das exportaçoes dos grãos de destilaria seus preços inflaram em comparação ao milho de tal forma que, o custo por unidade de energia não está mais favorável como no passado. O milho é conhecido por impactar negativamente a digestão da fibra e é limitado em proteína. Algumas pesquisas já demonstraram também que a suplementação do milho com uréia não resulta em perfomance animal similar à performance de animais alimentados com grãos de destilaria. Entretanto, não se sabe se o milho pode substituir parte do grão de destilaria como fonte suplementar de energia em dietas com alta forragem. A hipótese deste trabalho é que o milho pode substituir cerca de 60% do grão de destilaria sem impactar negativamente o desempenho animal porque o grão de destilaria vai atender aos requerimentos proteicos de novilhos de corte em crescimento. O objetivo deste trabalho é determinar o efeito de substituir 20, 40, ou 60% da energia vinda do grão de destilaria com milho. Serão utilizados 120 novilhos de corte cruzados (Bos Taurus) treinados em instalações com Calan Gate. Cada novilho será uma unidade experimental e os animais serão alimentados com dietas contendo 56% de forragem (resíduo de milho) e 4% de suplemento contendo vitamina, minerais e aditivos. As dietas vão variar de acordo com a energia suplementar vinda de grãos de destilaria ou milho. Os tratamentos incluirão 100, 80, 60 ou 40% de grão de destilaria. Todas as dietas irão conter cerca de 40% de energia suplementar vinda do milho ou grão de destilaria. Os animais serão alimnetados por no mínimo 84 dias. As variáveis respostas estudadas serão consumo de matéria seca, ganho médio diário e eficiência alimentar. (AU)