Busca avançada
Ano de início
Entree

A relação das reservas cerebral e cognitiva na conectividade de redes neurofuncionais em Doença de Alzheimer, considerando-se a presença do alelo APOE 4 e biomarcadores liquóricos

Processo: 15/06163-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Gabriela Castellano
Beneficiário:Marina Weiler
Instituição-sede: Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07559-3 - Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia - BRAINN, AP.CEPID
Assunto(s):Doença de Alzheimer   Reserva cognitiva

Resumo

A proporção de pessoas idosas na população tem crescido rapidamente no último século, e um envelhecimento saudável tem sido um alvo importante na pesquisa, principalmente na neurociência. Dentro desse contexto, é inevitável não pensarmos na Doença de Alzheimer esporádica e de início tardio, doença que afeta redes neurofuncionais e que possui como principal marcador genético o alelo ApoE µ4. O estudo de fatores que, de alguma maneira retardam ou até mesmo previnem o desencadeamento da doença tem se tornado cada vez mais essencial. Assim, surgiu o conceito de reservas cerebral e cognitiva, que refletem a tolerabilidade de um sujeito a um determinado dano - nesse caso, dos aspectos fisiopatológicos intrínsecos da Doença de Alzheimer. A reserva cerebral refere-se à quantidade de alterações que o cérebro pode suportar antes de expressar a doença clinicamente; enquanto que a reserva cognitiva leva em consideração a forma em que o cérebro recruta estratégias alternativas para a resolução de tarefas cognitivas. Desse modo, quanto maior a reserva cerebral e/ou cognitiva de determinado sujeito, maior tolerabilidade ele teria ao desenvolvimento clínico da doença. Tendo em vista que a conectividade das redes neurofuncionais é um reflexo da plasticidade cerebral mesmo em adultos, e que a presença do alelo ApoE µ4 é danoso mesmo em idosos saudáveis, nesse trabalho pretendemos avaliar como as reservas cerebral e cognitiva afetam a conectividade de redes neurofuncionais de idosos saudáveis, pacientes com comprometimento cognitivo leve e pacientes com demência de Doença de Alzheimer, com e sem a presença do alelo ApoE µ4. Este projeto será realizado no âmbito do CEPID BRAINN (Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia), junto ao Grupo de Neurofísica do Instituto de Física Gleb Wataghin da UNICAMP, e em colaboração com pesquisadores do Departamento de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas dessa universidade. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
WEILER, MARINA; CASSEB, RAPHAEL FERNANDES; DE CAMPOS, BRUNNO MACHADO; DE LIGO TEIXEIRA, CAMILA VIEIRA; MAC KNIGHT CARLETTI-CASSANI, ANA FLAVIA; VICENTINI, JESSICA ELIAS; CARDOSO MAGALHAES, THAMIRES NAELA; DE ALMEIRA, DEBORA QUEIROZ; TALIB, LEDA LEME; FORLENZA, ORESTES VICENTE; FIGUEREDO BALTHAZAR, MARCIO LUIZ; CASTELLANO, GABRIELA. Cognitive Reserve Relates to Functional Network Efficiency in Alzheimer's Disease. FRONTIERS IN AGING NEUROSCIENCE, v. 10, AUG 21 2018. Citações Web of Science: 1.
VICENTINI, JESSICA ELIAS; WEILER, MARINA; MEIRA ALMEIDA, SARA REGINA; DE CAMPOS, BRUNNO MACHADO; VALLER, LENISE; LI, LI MIN. Depression and anxiety symptoms are associated to disruption of default mode network in subacute ischemic stroke. BRAIN IMAGING AND BEHAVIOR, v. 11, n. 6, p. 1571-1580, DEC 2017. Citações Web of Science: 8.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.