Busca avançada
Ano de início
Entree

O projeto do livro do desassossego e o romantismo alemão: a questão do fragmento

Processo: 15/16698-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia
Pesquisador responsável:Márcio Suzuki
Beneficiário:Cláudia Franco Souza
Supervisor no Exterior: Paulo Alexandre Esteves Borges
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade de Lisboa, Portugal  
Vinculado à bolsa:13/05665-0 - Fernando Pessoa e o romantismo alemão, BP.PD
Assunto(s):Estética (filosofia)   Espólio   Romantismo

Resumo

Este projeto de pesquisa no exterior visa estabelecer uma relação entre o projeto do Livro do Desassossego e o primeiro romantismo alemão a partir da questão do fragmento. Esse livro permaneceu enquanto projeto durante a vida de Fernando Pessoa, tendo apenas sido publicados oito fragmentos do mesmo antes da morte do autor em 1935. O projeto do livro é composto por uma série de fragmentos, o gênero romântico por excelência. Tanto Novalis quanto Friedrich Schlegel refletiram sobre a questão do fragmento, principalmente a partir da dialética entre fragmento e totalidade. Os fragmentos do projeto do desassossego receberam a assinatura de três autores: Fernando Pessoa, Vicente Guedes e Bernardo Soares. Isto demonstra que a fragmentação é uma marca deste projeto: fragmentação de texto e de autores. Uma fragmentação que coloca o leitor em contato com a coletividade interior pessoana, questão que pode ser relacionada à questão do gênio romântico. Para além disto, o romantismo aparece textualmente no projeto do desassossego: em um dos fragmentos há uma referência direta à lírica de Heine que é exaltada e considerada superior ao drama shakespeariano. Os fragmentos do desassossego ainda possuem outro ponto de contato com o romantismo alemão: a questão do sonho. Em muitos fragmentos pertencentes a este projeto, sonho e realidade se interpenetram, criando uma atmosfera muito próxima ao pensamento filosófico romântico alemão. A partir da reflexão romântica sobre o fragmento pretendemos mostrar as relações que podem ser estabelecidas entre o projeto do desassossego e o romantismo alemão. (AU)