Busca avançada
Ano de início
Entree

Gel e micropartículas de quitosana no controle de biofilme bucal

Processo: 15/04363-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2015
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Carolina Patrícia Aires
Beneficiário:Erika Reiko Hashimoto Kawakita
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Quitosana   Sistemas de liberação de medicamentos   Biofilmes   Streptococcus mutans

Resumo

Biofilmes causam diversas doenças, como a cárie e periodontite. O biofilme oral é formado naturalmente e removido pela escovação, mas se a higienização não é adequada, recomenda-se o uso de produtos bucais contendo antimicrobianos. A quitosana possui conhecido efeito antimicrobiano, mas pouco se sabe sobre sua ação em biofilmes. Assim, o objetivo do presente estudo é avaliar a atividade antimicrobiana de géis e micropartículas de quitosana em células planctônicas e biofilmes Streptococcus mutans UA 159. Primeiramente, tanto os géis como as micropartículas de quitosana serão obtidas e caracterizadas em relação à análise reológica, potencial zeta e perfil de textura. Em seguida, o material obtido será avaliado em relação à concentração inibitória mínima (CIM) e a bactericida mínima (CBM) para células livres. Para os estudos com biofilme, os mesmos serão formados por 5 dias em lamínulas de vidro, simulando condições fisiológicas de episódios de fartura e miséria. No terceiro dia do experimento, os biofimes serão expostos aos seguintes tratamentos (n=3): a) NaCl 0,9%, como controle negativo; b) solução de digluconato de clorexidina 0,12%, como controle positivo; c) gel de quitosana em diferentes concentrações a serem definidas a partir da CIM; d) micropartículas de quitosana em diferentes concentrações a serem definidas a partir da CIM. A acidogenicidade dos biofilmes será monitorada diariamente. Ao final do período experimental, a viabilidade bacteriana será avaliada e os polissacarídeos serão quantificados. Para comparação entre grupos, inicialmente será analisada a homogeneidade e variabilidade dos resultados. Os dados serão analisados estatisticamente e o nível de significância estabelecido será de 5%.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
KAWAKITA, ERIKA R. H.; RE, ANA CAROLINA S.; PEIXOTO, MARIA PAULA G.; FERREIRA, MAIRA P.; RICOMINI-FILHO, ANTONIO P.; FREITAS, OSVALDO; AIRES, CAROLINA P. Effect of Chitosan Dispersion and Microparticles on Older Streptococcus mutans Biofilms. Molecules, v. 24, n. 9 MAY 1 2019. Citações Web of Science: 0.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
KAWAKITA, Erika Reiko Hashimoto. Efeito de dispersão e micropartículas de quitosana em células planctônicas e biofilme de Streptococcus mutans. 2017. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.