Busca avançada
Ano de início
Entree

A cadeia alimentar do lobo-guará em paisagem agrícola revelada por isótopos estáveis

Processo: 15/15110-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 17 de outubro de 2015
Vigência (Término): 30 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Plínio Barbosa de Camargo
Beneficiário:Thaís Rovere Diniz Reis
Supervisor no Exterior: Keith Alan Hobson
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Saskatchewan (USASK), Canadá  
Vinculado à bolsa:11/22910-3 - Ecologia espacial de canídeos silvestres em paisagem silvicultural no Estado de São Paulo, BP.DR
Assunto(s):Silvicultura   Carnivora

Resumo

Dados de cadeia trófica são essenciais para a um manejo eficaz da vida silvestre, especialmente em paisagens agrícolas. Entretanto, são escassos para a maioria das espécies neotropicais, incluindo o ameaçado lobo-guará. Visto que este canídeo carismático é um predador onívoro de várias espécies de presas, poderia ser utilizado como espécie-chave em investigações ecológicas de serviços de função trófica e dos ecossistemas. Assim, este projeto tem como objetivo principal investigar a estrutura da cadeia alimentar do lobo-guará em paisagem agrícola do estado de São Paulo, Brasil. Para isso, utilizaremos métodos não-invasivas como a análise de isótopos estáveis (d13C e d15N) de remanescentes macroscópicos e não digeridos de presas (p.ex. frutas, invertebrados e pequenos vertebrados), bem como pelo de lobo-guará encontrados em suas fezes. A estrutura da cadeia alimentar será modelada em software específico com base em taxonomia e de isótopos valores das presas e predador para identificar as espécies-chave de presas e seu uso de de espaço para forrageamento. As novas descobertas podem melhorar a compreensão do comportamento ecológico trófico do lobo-guará, particularmente em paisagens agrícolas, visto que ainda são um ambiente obscuro e negligenciado nos planos de conservação da vida silvestre brasileira.