Busca avançada
Ano de início
Entree

Reconstrução normativa e teoria social na teoria crítica contemporânea

Processo: 15/13820-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 28 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - Ética
Pesquisador responsável:Luiz Sérgio Repa
Beneficiário:Nathalie de Almeida Bressiani
Instituição-sede: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/11611-3 - Esfera pública e reconstrução: sobre a constituição de um paradigma reconstrutivo no campo da Teoria Crítica, AP.TEM

Resumo

O vínculo entre teoria e práxis é central ao projeto da teoria crítica. Para esta, o diagnóstico de época não é algo que simplesmente acompanha a crítica ou que corresponde à realidade que será por ela avaliada, mas algo que está na base da crítica social e lhe é determinante. Tendo isso em vista, Axel Honneth defende que, ao partir de uma reconstrução da estrutura racional da práxis comunicativa, que seria diretamente responsável pela reprodução simbólica do mundo da vida, Jürgen Habermas parece purificar esta última da influência direta do poder e acaba concebendo sua distorção como algo provindo de fora. Vinculado a uma teoria social dualista, o tipo de reconstrução normativa mobilizado por Habermas o teria impedido tanto de diagnosticar as patologias reproduzidas por meio da práxis comunicativa como de criticar a economia capitalista. Para Honneth, portanto, a recusa do dualismo social, bem como do diagnóstico habermasiano de patologias sociais possui consequências à base normativa de sua teoria crítica. Essa conclusão é corroborada pelos novos modelos críticos que têm sido desenvolvidos não só por Honneth, mas também por uma nova geração de teóricos críticos, composta por autores como Rahel Jaeggi, Robin Celikates e Martin Saar. Para eles, a necessidade de desenvolver um novo diagnóstico de patologias sociais que problematize o capitalismo e as formas simbólicas de dominação exige uma concepção distinta de reconstrução normativa, ou mesmo de crítica imanente. Atenta a esses deslocamentos, esta pesquisa (vinculada ao Projeto Temático FAPESP no 2014/11611-3) visa compreender a relação que se estabelece entre reconstrução normativa e teoria social na teoria crítica contemporânea. Para realizar esse objetivo, analisaremos inicialmente a guinada de Honneth em direção a uma teoria da liberdade social, que o leva a abandonar importantes teses da teoria do reconhecimento e a reformular a relação entre reconstrução normativa e teoria social. Em seguida, tendo em vista que há uma nova geração de teóricos críticos que procuram dar conta dessa questão, nos voltaremos ao estudo dos textos nos quais eles procuram resolvê-la.