Busca avançada
Ano de início
Entree

Novas plataformas para o diagnóstico rápido e precoce do Mal de Alzheimer

Processo: 15/02623-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Valtencir Zucolotto
Beneficiário:Laís Canniatti Brazaca
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/03779-0 - Aperfeiçoando biossensores baseados em papel para a quantificação de biomarcadores do Mal de Alzheimer usando técnicas de impressão, BE.EP.DR
Assunto(s):Doença de Alzheimer   Biomarcadores   Técnicas biossensoriais   Eletroquímica

Resumo

O mal de Alzheimer é uma doença devastadora comum entre idosos, caracterizado por uma progressiva e lenta degradação cerebral que pode levar décadas para se completar. A doença atinge atualmente mais de 36 milhões de pessoas e, principalmente devido ao envelhecimento populacional, projeções indicam que em 25 anos este número irá triplicar - implicando em altíssimos gastos aos sistemas de saúde. Apesar das causas e do desenvolvimento do mal de Alzheimer não serem muito bem elucidados, estima-se que a doença possua um longo período assintomático, que pode durar de 5 a 10 anos. O diagnóstico na fase pré-clínica é importante para que a doença possa ser tratada com antecedência, retardando o avanço desta. Além disso, a identificação de um maior número de pacientes em fases assintomáticas proporciona um maior número de dados para estudo do desenvolvimento da doença, auxiliando na busca por tratamentos ou pela cura. Atualmente o diagnóstico de Alzheimer é complexo, sendo realizado através de um conjunto de testes cognitivos, técnicas de neuroimagem e análise do líquido cefalorraquidiano (LCR). Estes necessitam de equipamentos e pesquisadores muito especializados, sendo assim de alto custo. Recentemente diversos biomarcadores sanguíneos para o desenvolvimento de Alzheimer foram indentificados, possibilitando o diagnóstico de baixo custo de fases iniciais da doença. Os principais são: antígeno prostático específico complexado com inibidor de serina protease ±1-antiquimiotripsina, fetuína B, clusterina e o precursor do hormônio pancreático. Estes se relacionam significativamente ao diagnóstico da doença, à diminuição do volume cerebral e à taxa de declínio de funções cognitivas, podendo ser usados para diagnósticos precoces. Neste projeto propomos o desenvolvimento de dispositivos biossensores de detecção e quantificação de um conjunto de biomarcadores para o diagnóstico precoce do mal de Alzheimer, baseados na utilização de plataformas nanoestruturadas e a investigação da relação da concentração destes marcadores com o estado de saúde de pacientes. Este estudo poderá propiciar, possivelmente, o diagnóstico através de dispositivos mais simples, baratos e rápidos. Assim, esperamos que seja possível o diagnóstico de um maior número de pacientes, permitindo o tratamento e aconselhamento precoce destes, além de permitir um estudo mais aprofundado do mecanismo da doença - auxiliando assim no desenvolvimento de tratamentos e até mesmo da cura.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.