Busca avançada
Ano de início
Entree

O loteamento Alphaville em Campinas e as novas formas de morar

Processo: 15/02719-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Planejamento Urbano e Regional - Fundamentos do Planejamento Urbano e Regional
Pesquisador responsável:Sidney Piochi Bernardini
Beneficiário:Gabriela Colmanetti Bozzola
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Urbanismo   Legislação urbana   Segregação urbana   Urbanização   Loteamento   Assentamento urbano   Localização residencial   Planejamento territorial urbano   Campinas (SP)

Resumo

Entre os anos de 2000 e 2007 foram fechadas 17.407.128,24m² de glebas em Campinas, divididas em 50 empreendimentos de condomínios ou loteamentos fechados (FREITAS: 2008: 170). A partir do que evidenciam estes números, é possível supor que parte da população desta cidade está preferindo habitar os condomínios horizontais e loteamentos fechados distantes e isolados ao invés de se estabelecer nas suas áreas urbanas mais centrais ou já consolidadas. Essa forma de viver em assentamentos, muitas vezes distantes dos núcleos urbanos centrais, torna o automóvel ainda mais requisitado, os espaços públicos subaproveitados e desvalorizados e estimula, cada vez mais, o comércio em grandes edifícios condominiais fechados - os shoppings centers. A reclusão nesses conjuntos, além de contribuir para minar a relação de equilíbrio entre os espaços públicos e privados nas cidades tradicionais, tem provocado, ao que parece, um enfraquecimento das experiências cotidianas do espaço público e as interações físicas entre as pessoas, aumentando a segregação social e a separação física entre as classes sociais. Esta pesquisa buscará investigar os processos de formação e desenvolvimento do loteamento fechado Alphaville no município de Campinas com o propósito de compreender, de um lado, as fundamentações técnicas e legais que permitiram a implantação desse loteamento e, por outro, as atratividades principais buscadas por seus moradores ao optarem por viver em tal tipo de assentamento urbano. Neste sentido, a pesquisa será desenvolvida sob três enfoques: 1 - as condicionantes administrativas e legais observadas na legislação urbanística que possibilitaram a aprovação desse loteamento; 2 - os preceitos técnicos e a concepção urbanística definida pela equipe projetista da empresa Alphaville para os loteamentos em questão, assim como as motivações que levaram à empresa empreender esse assentamento distante da área mais central de Campinas; 3 - as características principais dos modos e estilos de vida de alguns dos moradores desses loteamentos, observando a aderência entre o modelo empreendido e as suas expectativas. Este estudo ancora-se, do ponto de vista metodológico, nas premissas lançadas pela pesquisadora Teresa Pires Caldeira apresentadas em seu conhecido livro Cidade de muros: crime, segregação e violência em São Paulo, lançado pela EDUSP em 2000, sobre as formas de segregação residencial que têm se constituído nos últimos anos.