Busca avançada
Ano de início
Entree

A contradição da vontade consigo mesma em Julius Bahnsen

Processo: 15/17315-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 24 de agosto de 2015
Vigência (Término): 23 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - Ética
Pesquisador responsável:Flamarion Caldeira Ramos
Beneficiário:Flamarion Caldeira Ramos
Anfitrião: Domenico M. Fazio
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Local de pesquisa : Università del Salento, Itália  
Assunto(s):Filosofia alemã   Tragédia   Humor   Vontade   Contradição   Liberdade

Resumo

O presente projeto de pesquisa tem como objetivo investigar a filosofia de Julius Bahnsen (1830-1881), menos conhecido dos filósofos da assim chamada "Escola Schopenhaueriana", ou seja, o conjunto de autores que elaboraram seu pensamento a partir de uma reflexão crítica sobre a filosofia de Arthur Schopenhauer (1788-1860). Bahnsen elaborou uma dialética real, uma espécie de pessimismo absoluto que compreende a vontade individual como a causa última das contradições que afetam sem exceção a todos os seres que existem. Será tema principal dessa pesquisa o estudo acerca da concepção da vontade como autocontraditória e individual, concepção a qual chega o filósofo a partir de uma recepção crítica das filosofias de Hegel e Schopenhauer. Serão estudadas sobretudo as obras Der Widerspruch im Wissen und Wesen der Welt (1880/1882) e Das Tragische als Weltgesetz und der Humor als ästhetische Gestalt des Metaphysischen (1877).