Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistemas nanoestruturados à base de proteínas induzidos por radiação como carreadores de quimioterápicos

Processo: 15/13979-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Pesquisador responsável:Ademar Benévolo Lugão
Beneficiário:Gustavo Henrique Costa Varca
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Paclitaxel   Biomateriais   Proteínas   Radiação ionizante

Resumo

A nanotecnologia ampliou os recursos disponíveis para liberação de ativos de relevância biotecnológica e biomédica. Com relação à drogas para tratamento de câncer, muita atenção tem sido direcionada para a formulação de taxanos utilizando partículas de proteína à nível nano/sub-micron. Complexos de paclitaxel e albumina são alvo de constante estudo e sua aprovação para comercialização foi obtida na presente década. Este trabalho objetiva sintetizar nanopartículas de proteína, a partir de albumina, visando desenvolvimento de nanocarreador alternativo para administração parenteral e papaína para aplicação tópica, utilizando radiação ionizante. De maneira distinta as demais técnicas, o uso da radiação permite a formação de nanopartículas na ausência de monômeros ou solventes tóxicos, visando superar as limitações de partículas à base de proteínas disponíveis no mercado, fornecendo sistema alternativo para administração de agentes quimioterápicos com toxicidade e custo reduzido. Para tanto, as proteínas serão irradiadas em gammacell na presença de solventes distintos. Os nanocarreadores serão avaliados com relação às suas propriedades morfológicas, utilizando microscopia eletrônica de transmissão, e tamanho de partícula por espalhamento dinâmico de luz. O mecanismo de formação de nanopartícula será avaliado por meio de técnicas computacionais associadas à ensaios de radiólise de pulso e de espectrometria de massas. A toxicidade/biocompatibilidade dos nanocarreadores será determinada por ensaios de toxicidade, mecanismo de morte celular e interação nanopartícula-célula, seguidos da avaliação do potencial inflamatório e imunogênico. Após caracterização, será realizado o encapsulamento do paclitaxel nos nanocarreadores e determinada a eficiência encapsulamento.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.