Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização de um polimorfismo de nucleotídeo único no microRNA-146a e suscetibilidade ao câncer colorretal

Processo: 15/19924-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Vigência (Término): 31 de outubro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Manoela Marques Ortega
Beneficiário:Jéssica Silva dos Santos
Instituição-sede: Universidade São Francisco (USF). Campus Bragança Paulista. Bragança Paulista , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias colorretais   Suscetibilidade

Resumo

Mutações e polimorfismos de nucleotídeos únicos (SNPs) em genes envolvidos com o reparo do DNA foram descritos como envolvidos com o câncer colorretal (CCR). Uma das principais vias de reparo de erros do DNA é o reparo por recombinação homóloga (HR). Quando essa via é alterada por mutação em algum dos seus genes, a célula não pode reparar o erro no DNA e consequentemente resulta em apoptose ou tumorigênese. A metilação da lisina de proteínas histonas afeta vários aspectos da biologia do cromossomo, tais como silenciamento, transcrição, recombinação e resposta a erros do DNA. DOT1L produz uma proteína metiltransferase responsável pela metilação da histona H3K79, a qual foi descrita necessária tanto para o reparo por HR como para a prevenção de erros do DNA pelo recrutamento da proteína 53bp1 às quebras das fitas duplas do DNA (DSBs). Mutação do gene DOT1L resultou na elongação dos telômeros, aneuploidia e defeitos na proliferação celular. Um único SNP no gene DOT1L foi recentemente descrito em uma família com câncer gástrico hereditário. O gene XRCC3 codifica uma proteína da família Rad51 que participa na via de reparo por HR. O SNP g.21071C>T localizado no gene XRCC3 (rs861539) foi extensivamente estudado em CCR em diferentes populações e os resultados de associação ao risco para a doença foram contrastantes. Entretanto, não há estudos desse polimorfismo ou outros SNPs localizados no gene XRCC3 na população brasileira. O mecanismo pelo qual o reparo do DNA é mediado por Dot1L e a relação do mesmo com Xrcc3, ainda não foi completamente elucidado. Sabe-se que a proteína Xrcc3 interage fisicamente com Rad51C e células Dot1L-deficiente resultaram na deficiência de Rad51 nas DSBs. Não há estudos correlacionando SNPs identificados nos dois genes em conjunto e aumento do risco para o CCR. SNPs em microRNAs (miRNAs) foram descritos em câncer gastrointestinal e CCR. O polimorfismo localizado na sequência madura do miRNA-146a (rs2910164) foi estudado em CCR em diferentes populações com e sem aumento do risco para a doença, mas não na população brasileira. O miR-146a é considerado de interesse por regular os genes BRCA1 e BRCA2, ambos envolvidos com o reparo de DNA por HR. Dessa forma, o objetivo desse estudo é identificar e investigar o papel de SNPs nos genes DOT1L e XRCC3 por meio de análises da reação em cadeia da polimerase em tempo real (RT-PCR) e identificar e caracterizar o SNP rs2910164 no miRNA-146a por análises de polimorfismo de comprimento dos fragmentos de restrição (PCR-RFLP) e a suscetibilidade ao CCR na população brasileira.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.