Busca avançada
Ano de início
Entree

As religiosas na malha do Santo Ofício: a atuação da inquisição em Lisboa (1620-1681)

Processo: 15/14837-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Moderna e Contemporânea
Pesquisador responsável:Yllan de Mattos Oliveira
Beneficiário:Alex Rogerio Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Mulheres   Inquisição   Portugal

Resumo

RESUMO: A instauração do Tribunal do Santo Ofício em Portugal, no ano de 1536, com o intuito de zelar pela pureza da fé católica, dá início a um processo de perseguição àqueles que de alguma forma cometeram, pronunciaram ou defenderam heresias, na qual os cristãos-novos seriam suas principais vítimas. Apesar das leis que impediam o judaísmo, não são poucos os exemplos da continuidade das práticas da antiga fé, embora de maneira oculta e adaptada ao limite do possível. Neste sentido, observamos o redesenhar do papel das mulheres na religião judaica, na qual em tempos anteriores ficavam à margem a religião, e, com a atuação do Santo Ofício levam-nas a subverterem tal quadro, ocupando um papel decisivo na resistência e formação de um judaísmo possível, um criptojudaísmo. Mesmo nos conventos, tal prática se mostrava recorrente devido ao fato de inúmeras cristãs-novas reclusas serem provenientes de uma mesma família, encontrando um ambiente livre para manter as práticas do criptojudaísmo apreendidas no seio familiar. Este projeto tem como objetivo investigar a atuação do Tribunal do Santo Ofício de Lisboa no tocante as religiosas, analisando através de processos os desvios de conduta, aspectos relativos às origens e a mentalidade espiritual das religiosas. Em um segundo momento, realizar uma pesquisa comparativa com outros tribunais do Reino para verificar a incidência de processos semelhantes e quais os desvios mais frequentes a tais figuras.Palavras-chave: Inquisição, Cristãs-Novas, Portugal, Mulher, Religiosas.