Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da influência de pH e força iônica sobre as características físico-químicas de nanopartículas Au:pDNA:Protamina visando a estudos de vacinação gênica

Processo: 15/17456-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:Adriano Rodrigues Azzoni
Beneficiário:Caio Henrique de Souza Santos
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nanopartículas de ouro   Vacinas de DNA   Protaminas   Transfecção   Concentração osmolar

Resumo

O uso de vetores não-virais como o DNA plasmidial (pDNA) em estudos de terapia gênica e vacinação por DNA tem sido limitado pela baixa eficiência quando comparados aos vetores virais. Isso se deve, principalmente, à limitada capacidade de superar as barreiras físicas, enzimáticas e difusionais no tráfego para o interior do núcleo das células alvo. Fora a limitação mencionada, a falta de estudos sistemáticos sobre a influência das características dos vetores não-virais na entrega gênica dificulta seu emprego. Temos observado que a eficiência é altamente influenciada pelas características físico-químicas do vetor não-viral, especialmente carga, tamanho e morfologia, que por sua vez são afetados pelo pH e força iônica do meio de complexação. O principal objetivo do estudo de iniciação científica aqui proposto é a caracterização de complexos ternários nanopartícula de ouro (AuNP), DNA plasmidial (pDNA) e a proteína protamina formados sob diferentes condições de pH e força iônica. Os complexos serão caracterizados por espectroscopia de transmissão eletrônica, potencial zeta e espalhamento de luz. Os resultados serão então correlacionados aos de eficiência de transfecção de células de mamífero em cultura (HeLa), através da quantificação da expressão do gene repórter GFP contido no plasmídeo modelo utilizado (pVAX1GFP). Além de incentivar e treinar uma jovem estudante nas práticas de pesquisa, espera-se como resultado deste trabalho uma maior compreensão dos fenômenos envolvidos na formação destas partículas transfectantes, também conhecidas como "vírus artificiais".