Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos de reprodução em duas espécies de cupins neotropicais

Processo: 15/22277-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Ana Maria Costa-Leonardo
Beneficiário:Celia Regina Rodrigues de Camargo Dietrich
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/25857-4 - Mecanismos de reprodução em duas espécies de cupins neotropicais, AP.R
Assunto(s):Técnicas de genotipagem   Repetições de microssatélites   Isoptera   DNA mitocondrial

Resumo

Os cupins exibem os mais variados mecanismos de reprodução encontrados dentre os insetos sociais. A reprodução sexuada é geralmente realizada pelos reprodutores primários, derivados de alados, os quais fundam uma colônia após a revoada. A reprodução desta colônia pode ser estendida com o surgimento de reprodutores secundários, os quais são indivíduos neotênicos geralmente derivados de operários (ergatóides) ou de ninfas (ninfóides). Uma colônia com reprodutores secundários sofre um processo de retrocruzamento, o qual parece ser necessário para o aparecimento de determinadas castas em algumas espécies de cupins "inferiores". Dentre alguns cupins "superiores" (família Termitidae), a produção de neotênicos é de ocorrência relativamente comum, mas nenhum estudo até hoje analisou as populações derivadas destes indivíduos. Os cupins neotropicais Silvestritermes euamignathus e Nasutitermes aquilinus pertencem à família Termitidae e desenvolvem, respectivamente, reprodutores secundários ninfóides e ergatóides, e por isso foram escolhidos como modelos deste estudo. A presente pesquisa se propõe a entender a influência destes reprodutores nas colônias de cupins "superiores" por meio de análises genéticas utilizando marcadores de microssatélites e DNA mitocondrial. Os estudos genéticos deverão contribuir para: 1. esclarecer os mecanismos de reprodução das espécies, principalmente em relação à reprodução secundária; 2. determinar a influência dos neotênicos nas estruturas das colônias; 3. entender os processos evolutivos envolvidos na tendência em formar reprodutores do tipo ninfóide ou do tipo ergatóide.Devido a sua alta especificidade, marcadores de microssatélites devem ser desenvolvidos para cada espécie. Atualmente, os marcadores já foram desenvolvidos no laboratório do Dr. Edward L. Vargo, na North Carolina State University (NCSU), EUA (Processo FAPESP 2014/00720-6) para o cupim S. euamignathus. Já para N. aquilinus, o desenvolvimento dos marcadores faz parte de um estudo de pós-doutorado apoiadopela FAPESP (Processo No. 2012/23898-0) e este auxílio tem por finalidade dar suporte para o respectivo projeto.