Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da capsaicina na etapa de iniciação da carcinogênese química de cólon em ratos

Processo: 14/21951-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Luís Fernando Barbisan
Beneficiário:Brunno Felipe Ramos Caetano
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Quimioprevenção   Capsaicina

Resumo

A capsaicina (8-metil-N-vanilil-trans-6-nonamida), um composto alcaloide lipofílico com propriedades antibacterianas, anti-inflamatórias e antioxidantes, é o principal componente responsável pela pungência em pimentas vermelhas. Neste projeto, investigaremos se a capsaicina possui potencial quimioprotetor quando administrada na etapa de iniciação da carcinogênese de cólon induzida pela 1,2-dimetilhidrazina (DMH). Ratos Wistar machos serão randomicamente alocados em seis grupos (10-15 animais cada). Durante as quatro primeiras semanas será fornecida ração basal e ração basal contendo 0,25% e 0,05% de capsaicina aos grupos 1 e 6, 2 e 4 e 3 e 5, respectivamente. No final da segunda semana, todos os animais receberão quatro injeções subcutâneas de DMH (grupos 1-3, 40mg/kg) ou EDTA (grupos 4-6, veículo do DMH), duas vezes por semana. Ao término da quarta semana, todos os animais receberão ração basal e água ad libitum até o final do experimento. O sangue periférico será coletado por sangria do plexo retro-orbital, 4 e 12 horas após a última administração da DMH, para condução do teste de genotoxicidade pelo ensaio do cometa. Cinco animais de cada grupo serão sacrificados 24 horas após a última administração da DMH. Fragmentos do cólon e do fígado serão coletados e armazenados em bioofrezer a -80ºC para extração de RNA, ou fixados em formaldeído 4% e armazenados em álcool 70% para posterior análise histopatológica e imunoistoquímica. As amostras de RNA serão analisadas pelo Taqman® Low Density Array (TLDA), para avaliar a expressão de 95 genes diferentes envolvidos no metabolismo oxidativo, atividade pró- e antioxidante, proliferação celular, dano e reparo de DNA e apoptose. Dez animais de cada grupo serão sacrificados ao término da vigésima segunda semana. Os cólons (medial e distal) serão removidos, fixados e armazenados em álcool 70%. Após a fixação, os cólons serão corados com solução 0,2% azul de metileno para detecção estereoscópica de Focos de Criptas Aberrantes (FCA, incidência e multiplicidade) e posteriormente processados para análises histopatológicas. Ao final deste estudo, espera-se estabelecer como a capsaicina pode modular o potential genotóxico e carcinogênico da DMH.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RAMOS CAETANO, BRUNNO FELIPE; TABLAS, MARIANA BAPTISTA; FERREIRA PEREIRA, NATALIA ELIAS; DE MOURA, NELCI ANTUNES; CARVALHO, ROBSON FRANCISCO; MARCHESAN RODRIGUES, MARIA APARECIDA; BARBISAN, LUIS FERNANDO. Capsaicin reduces genotoxicity, colonic cell proliferation and preneoplastic lesions induced by 1,2-dimethylhydrazine in rats. Toxicology and Applied Pharmacology, v. 338, p. 93-102, JAN 1 2018. Citações Web of Science: 2.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CAETANO, Brunno Felipe Ramos. Efeitos da capsaicina na etapa de iniciação da carcinogênese de cólon em ratos. 2017. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.