Busca avançada
Ano de início
Entree

Decifrando a resistência do feijoeiro contra a doença antracnose: identificação de relações quinases-clientes e caracterização de redes de sinalização em uma interação incompatível P. vulgaris/C. lindemuthianum

Processo: 15/23533-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Tsai Siu Mui
Beneficiário:Danielle Gregorio Gomes Caldas
Supervisor no Exterior: Steven P. Briggs
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, San Diego (UC San Diego), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:13/06301-2 - Decifrando a resistência do feijoeiro contra a doença antracnose: transcritoma e identificação de genes responsivos a interação compatível e incompatível Phaseolus vulgaris/Colletotrichum lindemuthianum, BP.PD
Assunto(s):Biologia molecular   Antracnose   Proteínas quinases   Feijão

Resumo

A habilidade das plantas em se defender contra patógenos é de suma importância. No caso de um ataque agressivo de um patógeno, uma rápida resposta pode significar a diferença entre a sua sobrevivência e sua morte, por isso, eventos moleculares ligados a uma resposta precoce são críticos para a sobrevivência das plantas. A fosforilação de proteínas existentes é um método pelo qual uma célula pode responder rapidamente a um estímulo. Em nossos estudos, nós temos observado uma ativação de genes relacionados à resistência muito mais rápida na interação incompatível entre Phaseolus vulgaris e Colletotrichum lindemuthianum do que na interação compatível. Em adição, a análise dos transcritomas dessas interações fitopatogênicas revelou uma série de proteínas kinase sendo ativadas na interação incompatível. A fim de estudar esta interação ao nível de sinalização molecular, nós propomos estudar o fosfoproteoma das mesmas amostras já estudadas ao nível transcricional e identificar relações entre proteínas kinases e seus "clientes" na resposta imune do feijoeiro à invasão por C. lindemuthianum. Para isso, proteínas totais serão extraídas e preparadas para análise fosfoproteômica, analisadas em espectrômetro de massas (MS) e os fosfosítios identificados. Em paralelo, proteínas kinases serão selecionas de nosso trabalho prévio, clonadas e purificadas, e usadas no ensaio KiC assay (Kinase Client Assay). Como resultado, nós esperamos avançar em nosso objetivo principal em "Decifrar a resistência do feijoeiro à doença antracnose", indo para um próximo nível na expressão gênica, identificando fosfosítios nesta sinalização de defesa e principalmente, descobrindo relações entre proteínas kinase e seus clientes neste processo. (AU)