Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção e manutenção do vozeamento do som /z/ em crianças com transtorno fonológico

Processo: 15/09302-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Haydée Fiszbein Wertzner
Beneficiário:Marina Luciano Kozik da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fonologia   Transtorno fonológico   Voz falada   Crianças

Resumo

O Transtorno Fonológico (TF) pode ser considerado uma alteração de linguagem e é caracterizado pelo uso inadequado dos sons, que causam ininteligibilidade e não tem causa definida. O seu diagnóstico deve ser feito precocemente, em função das dificuldades que podem encontrar no processo de aprendizagem da leitura e escrita que poderão surgir caso a criança entre na fase de alfabetização sem ainda ter sanado suas dificuldades de fala (Wertzner, 2003, 2004). Devido a sua heterogeneidade quanto etiologia, aos tipos de erro, aos diferentes graus de gravidade e ao prognóstico, é de grande importância o diagnóstico correto e a intervenção adequada (Dodd e McIntosh 2008; Wertzner, 2003). Para o diagnóstico do TF são aplicadas diversas provas principalmente as de fonologia que permitem identificar o transtorno. Para auxiliar na classificação do TF, devem ser aplicados procedimentos complementares sendo que alguns deles utilizam equipamentos. Dentre esses que utilizam equipamentos estão a análise acústica, eletroglotografia (EGG) e medidas aerodinâmicas. Todos esses instrumentos são de grande importância para aperfeiçoar o diagnóstico dessa alteração de linguagem e fala que tem grande ocorrência na população infantil. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo do projeto é descrever as propriedades de sons fricativos vozeados e desvozeados /s/ e /z/ utilizando medidas aerodinâmicas, acústicas e eletroglotográficas, em crianças com transtorno fonológico (TF) e com desenvolvimento típico (DT) de fala e linguagem, com idade ente 5:0 e 7:11 anos, falantes do Português Brasileiro (PB).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: