Busca avançada
Ano de início
Entree

Manutenção de colônias de carrapatos e de células de carrapatos em cultivo

Processo: 15/21991-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Sirlei Daffre
Beneficiário:Beatriz Iglesias Alonso
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/26450-2 - Caracterização molecular das interações entre carrapatos, riquétsias e hospedeiros vertebrados, AP.TEM
Assunto(s):Biologia celular   Carrapatos

Resumo

Os objetivos propostos no presente projeto envolvem estudo de diferentes aspectos da interação carrapatos-riquétsias, utilizando para isso ensaios in vitro (células de carrapatos Rhipicephalus microplus - BME26 - mantidas em cultivo) e estudos in vivo (carrapatos R. microplus, Amblyomma cajennense e A. aureolatum). Sistemas de cultivo de células in vitro, principalmente de células de vetores e hospedeiros, têm se mostrado uma ferramenta potente para o estudo da biologia dos parasitas e da relação parasita-hospedeiro. O cultivo de células embrionárias do carrapato R. microplus e a sua utilização para a amplificação de A. marginale foi previamente estabelecido pelo grupo da Profa. Sirlei Daffre. O grupo da Profa. Andréa Fogaça também estabeleceu com sucesso a infecção dessa linhagem com R. rickettsii. Esses modelos, além de permitirem um grande controle das condições experimentais, permitem ainda que se realize a avaliação das interações moleculares entre carrapatos e os patógenos por eles transmitidos sem para isso envolver o uso de animais vertebrados. Após a pré-avaliação in vitro, realiza-se, então, a análise in vivo. Os estudos utilizando modelos in vivo, por sua vez, representam um desafio aos seus executores. No nosso caso, a obtenção de carrapatos em grande quantidade e em condições controladas não será um trabalho trivial. Apesar disso, contaremos com as estruturas de diferentes colaboradores. Além disso, as Profas. Andréa Cristina Fogaça e. Sirlei Daffre tiveram um projeto aprovado dentro da chamada INFRA-USP (Pró-Reitoria de Pesquisa da USP). Com o auxílio concedido será implementado um novo biotério no Depto. de Parasitologia do ICB-USP. Para garantir o bom funcionamento de tal estrutura e produção adequada de carrapatos, bem como de células de carrapatos em cultivo, o envolvimento de uma equipe técnica treinada é fundamental.