Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação eletrofisiológica e psicofísica das funções visuais: estudo comparativo nas doenças de Alzheimer, neuropatia glaucomatosa e degeneração macular relacionada à idade

Processo: 15/22227-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Dora Selma Fix Ventura
Beneficiário:Kallene Summer Moreira Vidal
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/26818-2 - Desenvolvimento e implantação de métodos de avaliação visual: aplicações clínicas e em modelos animais, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):17/01367-6 - Avaliação funcional da retina de pacientes com glaucoma através do eletrorretinograma, BE.EP.PD
Assunto(s):Psicofísica   Eletrofisiologia   Degeneração macular   Glaucoma   Doença de Alzheimer   Oftalmologia

Resumo

A perda das funções visuais parece ser o sinal mais precoce na doença de Alzheimer (DA) e apresenta características semelhantes a outras doenças neurodegenerativas como o glaucoma e a degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Alguns estudos mostram que a incidência de glaucoma na DA é de 24-26%, enquanto que no grupo controle, idosos sem DA e na mesma faixa etária, é menor que 10%. É provável que alterações específicas na via magnocelular descritas tanto no glaucoma quanto na DA sejam responsáveis pelo mecanismo fisiopatológico em comum entre as doenças. Quanto a relação entre a DA e DMRI, existem similaridades na patogênese de ambas doenças, como alterações celulares provocadas por estresse oxidativo e alterações na função lisossomal levando ao acúmulo de agregados proteicos em placas no encéfalo e em drusas na retina na DA e na DMRI respectivamente. Embora, anormalidades no sistema visual pré-cortical na DA tenham sido questionadas no passado, dados de estudos recentes mostram que funções visuais avaliadas por testes psicofísicos como percepção de cores, sensibilidade ao contraste e campo visual, estão comprometidas na DA. Outras funções como adaptação ao escuro ainda não foram exploradas. Com relação aos estudos eletrofisiológicos em pacientes com DA, até o presente momento, um único estudo mostrou alterações no eleterorretinograma multifocal e alguns estudos com dados discrepantes entre si, utilizando o eletrorretinograma padrão. Também foram observados resultados conflitantes nos estudos utilizando testes de potencial visual evocado (PVE). A inconsistência dos resultados na literatura pode estar relacionada a diferentes metodologias utilizadas de forma não padronizada, assim como o fato de que na maioria desses estudos, os dados obtidos não foram comparados a um grupo controle pareado por sexo e idade. Logo, a realização do presente estudo é relevante para melhor compreensão da relação entre DA e outras doenças neurodegenerativas oculares como o glaucoma e DMRI. Além do que, a avalição do sistema visual de forma padronizada através dos diferentes testes psicofísicos e eletrofisiológicos pode ser uma ferramenta útil para detecção precoce da DA. O objetivo deste estudo é avaliar funções visuais como sensibilidade ao contraste, visão de cores, adaptação ao escuro e padrão das respostas eletrofisiológicas da retina e do córtex visual em pacientes com diagnóstico de DA, transtorno cognitivo leve, glaucoma e DMRI. Serão selecionados pacientes provenientes do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo e no Núcleo de Oftalmologia Prevent Senior. De acordo com os critérios de inclusão e exclusão, os sujeitos serão divididos nos seguintes grupos:Grupo 1 - pacientes com diagnóstico de doença de Alzheimer estágio 1 e 2 e transtorno cognitivo leve sem histórico de doenças oftalmológicas como glaucoma, doença macular e cirurgia oftalmológica prévia.Grupo 2 - pacientes com diagnóstico de glaucoma de ângulo aberto, e sem histórico de doenças neurológicas e psiquiátricas.Grupo 3 - pacientes com diagnóstico de degeneração macular, e sem histórico de doenças neurológicas e psiquiátricas.Grupo 4- sujeitos saudáveis sem histórico de doença oftalmológicas , neurológicas e psiquiátricas pareados pela idade e sexo aos grupos anteriores.Desta forma, esperamos que o conhecimento dos prejuízos nas funções visuais através da eletrofisiologia e psicofísica possa ser uma ferramenta da detecção precoce da DA, e que estas avaliações possam ser adotadas de forma padronizada pelo oftalmologista na prática clínica, contribuindo assim, para uma melhor qualidade de vida do portador de DA. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SALGUEIRO BARBONI, MIRELLA TELLES; BUENO, CLARISSA; NAGY, BALAZS VINCE; MAIA, PATRICIA LOBO; MOREIRA VIDAL, KALLENE SUMMER; ALVES, ROSANA CARDOSO; REITER, RUSSEL J.; DO AMARAL, FERNANDA GASPAR; CIPOLLA-NETO, JOSE; VENTURA, DORA FIX. Melanopsin System Dysfunction in Smith-Magenis Syndrome Patients. INVESTIGATIVE OPHTHALMOLOGY & VISUAL SCIENCE, v. 59, n. 1, p. 362-369, JAN 2018. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.