Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo das propriedades físico-químicas de cimentos experimentais

Processo: 15/18626-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Luciano Tavares Angelo Cintra
Beneficiário:Jéssica Cordeiro Alves Guimarães
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Cimentos endodônticos   Agregado trióxido mineral   Obturação do canal radicular   Propriedades físico-químicas   Teste de biocompatibilidade

Resumo

Um dos objetivos da endodontia é desenvolver cimentos que sejam biocompatíveis e que tenham ótimas propriedades físico-químicas, visto que os mesmos ficarão em íntimo contato com os tecidos periapicais e terão como função promover o melhor selamento possível do sistema de canais radiculares. Neste contexto, os cimentos SealAta e SealAta Plus estão sendo propostos para serem utilizados para a obturação convencional e para a obturação retrógrada, respectivamente. Estudos prévios de nosso grupo de pesquisa (Processo Fapesp 2013/08335-1) mostraram que estes cimentos possuem ótima biocompatibilidade, entretanto, suas propriedades físico-químicas ainda são parcialmente desconhecidas. Assim, o objetivo do presente estudo será avaliar o escoamento, radiopacidade, pH e liberação de íons cálcio dos cimentos endodônticos SealAta e SealAta Plus, comparativamente aos cimentos Sealapex® e Pro-Root MTA®. Para cada análise, serão utilizados 6 espécimes de cada grupo (n=6). Para o teste de radiopacidade, serão utilizados tubos de polietileno preenchidos com cimento que serão, posteriormente, radiografados. O teste de escoamento será realizado de acordo com as normas ISO 6876/2001. Para os testes de pH e liberação de íons cálcio, os tubos de polietileno contendo cimento serão imersos em água ultrapura. Depois de 3, 24, 72, 168 e 240 horas o líquido será analisado por meio de um medidor de pH e por um espectofotômetro de absorção atômica. Os resultados serão submetidos a análise estatística pelo teste ANOVA e, para comparação entre os grupos, será utilizado o teste de Tukey, com nível de significância de 5% (p<0.05). (AU)