Busca avançada
Ano de início
Entree

Invariância e unificação na teoria de evolução cultural

Processo: 15/22129-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 23 de maio de 2016
Vigência (Término): 20 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - Epistemologia
Pesquisador responsável:Lorenzo Baravalle
Beneficiário:Lorenzo Baravalle
Anfitrião: Johannes Jaeger
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Local de pesquisa : Konrad Lorenz Institute (KLI), Áustria  
Assunto(s):Evolução cultural

Resumo

Inspirado pela teoria de Woodward sobre causalidade e explicação, Caponi tem recentemente defendido que a biologia - e, especialmente, a biologia evolutiva - é fundada sobre um "mosaico de invariantes", isto é, uma rede de regularidades causais que, mesmo sem ser suficientemente estáveis e universais como para constituir genuínas leis causais, podem garantir a autonomia explicativa desta disciplina oferecendo suporte para um certo número de contrafactuais relevantes. Mesmo desprovida de leis causais propriamente ditas, a biologia evolutiva seria uma teoria unitária porque os invariantes são, em algum sentido, "subsumidos" por outros tipos de leis - as leis de força zero, como o equilibrio de Hardy-Weinberg, e as leis consequenciais, como as leis da genética de populações - que estabelecem conexões entre eles dentro de um quadro teórico mais geral. Poderia a estrutura explicativa de uma hipotética teoria unificada da evolução cultural ser concebida de uma maneira parecida? O objetivo do presente projeto é proporcionar uma resposta a esta questão, considerando dois problemas relacionados. Em primeiro lugar, tentarei identificar a lei de força zero e as leis consequenciais da teoria da evolução cultural. Em segundo lugar, avaliarei dois estudos de caso (ou seja, o surgimento e a queda dos impérios e a evolução da tecnologia), de modo a determinar se as regularidades causais que são invocadas nas explicações concernentes a evolução cultural podem ser consideradas como genuínos invariantes, no sentido de Woodward e Caponi. (AU)