Busca avançada
Ano de início
Entree

Interações antagônicas entre fungos negros e o parasita Escovopsis spp

Processo: 15/17495-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Fernando Carlos Pagnocca
Beneficiário:Beatriz Lisboa Sanchez
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Micologia   Diversidade microbiana   Interações microbianas   Controle biológico   Fungos   Simbiose   Escovopsis

Resumo

Os fungos negros, também chamados de dematiáceos, formam um grupo heterogêneo, sendo caracterizados pela sua pigmentação escura devido à presença do complexo melanínico Dihidroxinaftaleno (DNH) na parede micelial, que os protege de condições de estresse ambiental, incluindo ambientes restritos em nutrientes e água, substâncias tóxicas e pH ácido. Esses micro-organismos são patógenos oportunistas para seres humanos, sendo a cromoblastomicose um exemplo de doença que pode ser causada por vários agentes etiológicos fúngicos diferentes, representantes da ordem Chaetothyriales. Além da associação com plantas, os fungos negros também interagem com insetos, como é o caso da associação da levedura negra Phialophora com formigas da tribo Attini. As formigas da tribo Attini mantêm uma associação obrigatória com fungos basidiomicetos, os quais são cultivados como fonte de alimento. Ocasionalmente, o cultivo é parasitado por um fungo patógeno especializado do gênero Escovopsis, o qual destrói a biomassa do fungo mutualista e pode levar o formigueiro ao colapso total. É sabido que os ninhos das formigas Attini abrigam uma grande diversidade microbiana, cujas interações ainda não foram totalmente elucidadas. Sabe-se que bactérias actinomicetas do gênero Pseudonocardia produzem antibióticos que inibem os fungos do gênero Escovopsis, protegendo os ninhos das formigas. Essas bactérias podem ser encontradas na cutícula de formigas da tribo Attini, beneficiando indiretamente esses insetos. Por outro lado, essas bactérias aparentemente têm seu desenvolvimento comprometido pela presença de fungos negros (relacionados ao gênero Phialophora) também presentes na cutícula das formigas, o que, indiretamente, acaba por beneficiar a sobrevivência do parasita Escovopsis. Assim sendo, fica evidente que muitos aspectos envolvendo as interações microbianas no ambiente dos formigueiros merecem uma maior atenção dos pesquisadores pelo potencial que representam quanto à descoberta de novas drogas antimicrobianas e de possíveis inimigos naturais que podem atuar em processos de controle biológico desses insetos. Estudos sobre a diversidade de fungos negros no ambiente das formigas Attini são escassos e este trabalho será o primeiro a analisar as relações entre fungos negros e outros micro-organismos envolvidos na simbiose desses insetos, como o parasita Escovopsis.